Dia do Opala e Caravan: conheça mercado para colecionadores

O projeto teve como objetivo homenagear as criações e representações dos dois clássicos veículos

Postado em: 22-07-2022 às 09h13
Por: Lorenzo Barreto
O projeto teve como objetivo homenagear as criações e representações dos dois clássicos veículos | Foto: Divulgação

Em Sessão Ordinária promovida no dia 21 de junho, a Câmara de Goiânia aprovou em primeira votação um projeto de lei que institui o Dia Municipal do Opala e Caravan, data a ser comemorada em 8 de agosto. A matéria é de autoria do vereador Lucas Kitão (PSD), que seria um grande amante de carros antigos. O projeto teve como objetivo homenagear as criações e representações dos dois clássicos veículos.

O projeto foi uma forma de homenagear o grupo OpalaGyn, associação goianiense de fãs que atualmente conta com mais de 100 associados e associadas. O grupo também conta com um acervo de aproximadamente 150 veículos, tendo como objetivo lutar pela preservação do patrimônio histórico do Opala e do Caravan. Segundo o presidente do OpalaGyn, Robson de Souza Lima, o dia escolhido, 8 de agosto, não é uma coincidência, mas uma homenagem à criação do grupo, que teve seu primeiro registro na data.

“A aprovação do projeto de Lei foi uma importante vitória. Aguardamos a sanção do prefeito Rogério Cruz, que também é um apaixonado pelos modelos Opala e Caravan. Lutamos pela preservação do patrimônio histórico do Opala”, disse o presidente do OpalaGyn em entrevista ao O Hoje.

Continua após a publicidade

Mercado de carros para colecionadores

A última pesquisa que explorou esse mercado no Brasil foi feita em 2019 e apontou que o mercado nacional de carros antigos movimentou cerca de R$ 32 bilhões em um ano. A pesquisa foi encomendada pela Fédération Internationale des Véhicules Anciens (FIVA), entidade da qual a Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA) é a representante oficial no País, ao instituto de pesquisa britânico JDA Research.

Do valor total, R$16,1 bilhões foram em gastos diretos, o que inclui serviços, seguros, manutenção, restauração, armazenamento, combustível, entre outros setores. Outros R$ 12,3 bilhões foram em compra e venda de veículos históricos; R$3,5 bilhões em eventos de veículos históricos, incluindo hotelaria, alimentação e inscrições/entradas; e R$ 768 milhões em gastos indiretos, como mensalidades de clubes, revistas especializadas, souvenirs, entre outros.

Segundo a pesquisa, um colecionador gasta, em média, R$ 13,4 mil por ano na restauração, manutenção e operação, R$ 2,9 mil na participação em eventos de veículos históricos, R$ 640 em outros itens relacionados ao seu interesse em veículos históricos, como mensalidades de clubes, revistas especializadas e souvenirs, e R$ 10.250 na aquisição de veículos. Somando, são R$27,2 mil por proprietário anualmente.

Os dados se baseiam em respostas de 1.097 proprietários e entusiastas e em 3.080 avaliações dos veículos históricos. O levantamento foi conduzido de forma on-line entre agosto e novembro de 2020 com a assistência de organizações membros da Fiva para promover a pesquisa para colecionadores de veículos históricos em seus próprios países.

História do Opala e comercialização atualmente

Nascido como Projeto 676, o Opala foi fabricado em nosso País entre os anos 1968 e 1992. Ele foi baseado no modelo Rekord, da Opel, porém com alguns retoques feitos pela General Motors do Brasil. O clássico era fabricado na planta da Chevrolet, antes conhecida como Companhia Geral de Motores do Brasil, na cidade de São Caetano do Sul, na Região Metropolitana de São Paulo. O Opala teve diversas versões como a sedã, cupê e a perua, totalizando quase um milhão de unidades vendidas ao longo de sua trajetória por aqui.

Famoso por ter motores grandes e carburados, como o 4.1 litro de seis cilindros, que rendia ao nacional 171 cv de potência e 32,5 kg/fm de torque, o Opala era inconfundível por onde passava. Essa motorização foi instalada na versão SS6 e era a configuração mais potente do motor 4100. No dia 16 de abril de 1992, após 1 milhão de unidades vendidas, a fabricação do modelo foi interrompida. Mas o legado permanece mesmo 28 anos depois do fim de sua produção.

Atualmente, é possível encontrar diversas variações de Opalas em sites de venda e revenda. O valor tende a ser mais alto dependendo do estado de conservação do veículo. Quanto mais original mais valioso. Os Opalas mais procurados são os da década de 1970 e o último lançado, em 1992. Os veículos vão de R$ 20 mil a R$ 500 mil.

Veja Também