Goiás tem 12 casos confirmados de varíola dos macacos

Ao todo, no Brasil foram confirmados 607 casos da varíola do macaco, enquanto o mundo chegou à marca de quase 16 mil ocorrências da doença

Postado em: 23-07-2022 às 14h34
Por: Rodrigo Melo
Ao todo, no Brasil foram confirmados 607 casos da varíola do macaco, enquanto o mundo chegou à marca de quase 16 mil ocorrências da doença | Foto: Reprodução/iStock

A Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) informou que o estado possui 12 casos confirmados da varíola dos macacos (monkeypox). Ao todo são 9 infectados em Goiânia, 2 em Aparecida de Goiânia e uma em Inhumas. Todos os casos confirmados de monkeypox são de homens entre 26 e 43 anos, apontou o documento.

De acordo com boletim, há mais 16 suspeitos sendo investigados, sendo 12 ocorrências suspeitas na capital e outras 4 em Itaberaí, Trindade, Formosa e Valparaíso.

Leia também: Veja quando um caso de varíola dos macacos é considerado suspeito

Continua após a publicidade

Ao todo, no Brasil foram confirmados 607 casos da varíola do macaco, enquanto o mundo chegou à marca de quase 16 mil ocorrências da doença.

Transmissão da varíola dos macacos

A varíola dos macacos é uma doença viral rara causada pelo vírus hMPXV (Human Monkeypox Virus, na sigla em inglês). Ela é transmitida pelo contato próximo com uma pessoa infectada e com lesões de pele. O contato pode ser por abraço, beijo, massagens ou relações sexuais. A doença também é transmitida por secreções respiratórias e pelo contato com objetos, tecidos (roupas, roupas de cama ou toalhas) e superfícies utilizadas pelo doente.

Emergéncia de saúde global

Organização Mundial da Saúde (OMS), classificou neste sábado (23/7) a varíola dos macacos como caso de emergéncia de saúde global. Até o momento, 16 mil casos da doença foram confirmados em 75 países.

“Decidi declarar uma emergência de saúde pública de alcance internacional”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

O diretor informou, ainda, que com as ferramentas disponíveis será possível controlar o surto e parar a transmissão da doença.

A diretora da OMS de Preparação Global para Riscos Infecciosos, Sylvie Briand, afirmou que é prioridade conter a varíola dos macacos em países não endêmicos, o que pode ser alcançado por meio de ações rápidas.

Veja Também