Polícia Civil combate furto de cargas de fertilizantes que ultrapassa R$ 20 milhões, em Itumbiara e Catalão

Um carregamento, que pode chegar a quase R$ 200 mil reais, chega a ser vendido para o fazendeiro receptador por bem menos que a metade desse valor

Postado em: 01-08-2022 às 10h18
Por: Rodrigo Melo
Um carregamento, que pode chegar a quase R$ 200 mil reais, chega a ser vendido para o fazendeiro receptador por bem menos que a metade desse valor | Foto: PC-GO

A Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar) deflagrou, na última sexta-feira (29/7), a Operação Solo Fértil, com o objetivo de combater a subtrações de cargas de fertilizantes químicos ocorridos no triângulo mineiro e em propriedades rurais situadas nos municípios de Itumbiara e Catalão. Os prejuízos das vítimas revendedoras de fertilizantes ultrapassam R$ 20 milhões de reais.

O que chamou a atenção da Polícia Civil de Goiás foi a nova forma de agir dos agentes delitivos. Nos casos apurados pela Decar foi descoberto que motoristas terceirizados são contratados por um intermediador da compra de fertilizantes para a realização do carregamento diretamente na indústria. Depois de embarcadas as cargas, os motoristas são cooptados pelos intermediadores que os convencem a fazer a entrega num lugar diferente daquele que está na nota fiscal.

Leia também: Operação da Polícia Civil prende suposta associação criminosa que furtou R$ 500 mil

Continua após a publicidade

Os motoristas, nesses casos, em tese não envolvidos no esquema, realizam a entrega a proprietários rurais participantes e financiadores do esquema. Um carregamento, que pode chegar a quase R$ 200 mil reais, chega a ser vendido para o fazendeiro receptador por bem menos que a metade desse valor.

Mais de cinquenta “bags” foram recuperados pela Polícia Civil goiana, nesta operação, por meio do trabalho da Decar e da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR).

De acordo com a PC-GO, cada “bag” tem em média uma tonelada de produto. Todos os envolvidos foram identificados. Os produtos já estão sendo devolvidos às vítimas.

Veja Também