Goiás recebe alerta de baixas temperaturas no Sul e Centro até o final de semana

O Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), prevê para os próximos dias a ocorrência de temperaturas abaixo do esperado

Postado em: 20-08-2022 às 15h58
Por: Rodrigo Melo
Apesar de diminuição na temperatura, umidade relativa do ar segue baixa e risco de incêndios florestais continua alto | Foto: Marcelo Camargo

O Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), prevê para os próximos dias a ocorrência de temperaturas abaixo do esperado para o período nas regiões Sul e Centro de Goiás.

A massa de ar polar que fez os termômetros descerem a menos de zero grau em algumas cidades do Sul do país deve aliviar o calor em cidades goianas como Rio Verde, Jataí e Mineiros. A expectativa é de chegar em torno de 10ºC na madrugada deste sábado (20/08).

Conforme alerta o Cimehgo, as maiores quedas de temperatura ficarão concentradas apenas nessas regiões, já que a previsão para o restante do Estado é de altas temperaturas. Em Porangatu, por exemplo, a máxima registrada nesta sexta-feira foi de 35ºC. Já na capital o que chama a atenção é a amplitude térmica, com mínima de 15ºC e máxima de 31ºC.

Continua após a publicidade

Os prognósticos do Cimehgo são elaborados com até 15 dias de antecedência. Por meio dos boletins informativos é possível antever desastres e traçar estratégias para mitigar os danos causados por fenômenos naturais. É o caso, por exemplo, da parte centro/sul do Estado, onde as temperaturas caem com maior intensidade, ocasionando assim efeitos diretos nas produções agrícolas.

Riscos de queimadas

Além dos impactos gerados pelas mudanças climáticas quanto à saúde humana, outro ponto preocupante é o risco de incêndios florestais. Nesta época do ano, a vegetação seca do bioma Cerrado é altamente inflamável. Somado a isso, o clima seco, as altas temperaturas e a baixa umidade do ar resultam em risco elevado para ocorrência de focos de queimadas.

Leia também: Goiás decreta situação de emergência ambiental devido incêndios

Titular da Semad, Andréa Vulcanis lembra que nesta época do ano algumas ações devem ser evitadas. “A queima de lixo doméstico, o descarte de bituca de cigarros nas rodovias e a falta de aceiros em propriedades rurais podem dar início ou contribuir para que o fogo se espalhe rapidamente”.

Segundo a secretária, neste ano, a previsão é de menor incidência pluviométrica em Goiás devido ao fenômeno La Niña, que direciona maior quantidade de chuvas às regiões Norte e Nordeste do País.

Veja Também