Marmitagate: Polícia investiga suposto estelionato em projeto social que pede doações para marmitas em SC

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), confirmou que recebeu duas representações em relação ao caso.

Postado em: 28-09-2022 às 14h51
Por: Luan Monteiro
O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), confirmou que recebeu duas representações em relação ao caso. | Foto: Reprodução/O Município de Blumenau

A Polícia Civil de Santa Cantarina abriu uma investigação para apurar um suposto golpe e estelionato em um projeto que pedia doações em pix para a aquisição de marmitas para moradores de rua. O caso tomou conta da internet nos últimos dias recebendo o nome de “Marmitagate“, alusão ao escândalo “WaterGate”.

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), confirmou que recebeu duas representações em relação ao caso.

Eduarda Poleza, de 19 anos, que se identifica como coordenadora do projeto disse, ao G1SC, que não havia sido notificada sobre a investigação, mas que estava tranquila. Ela reafirmou também, que o projeto existe.

Continua após a publicidade

“Não fomos notificados ainda. Eu estou muito tranquila, acredito que quem não deve não teme. A respeito dos diversos crimes de calúnia, difamação e danos morais, com certeza medidas serão tomadas. pessoas tiram a própria vida por causa disso”, disse.

A Polícia Civil detalhou, em nota, que o modus operandi “consistia em pedir quantias em dinheiro, que seriam destinadas à compra de alimentos para pessoas necessitadas, mas os valores seriam desviados para benefícios próprios”.

“Os indícios de fraude consistem em fotos divulgadas pela Ong, nas quais há uma certa divergência entre datas”, disse o delegado. “E também porque, uma das arrecadadoras dos valores supostamente estava usando um perfil fake (falso)”, afirmou o delegado Felipe Orsi.

Veja Também