Sábado, 04 de fevereiro de 2023

Moraes dá 4 horas para metrô de Belo Horizonte explicar cobrança de passagens

A gratuidade no metrô deveria acontecer das 7h às 18h, em toda região metropolitana

Postado em: 30-10-2022 às 16h10
Por: Mariana Fernandes
A gratuidade no metrô deveria acontecer das 7h às 18h, em toda região metropolitana | Foto: Reprodução / ABr

O presidente Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou hoje (30) que a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) informe a menos de quatro horas as razões pelas quais desrespeitou decisão judicial sobre a gratuidade no metrô em Belo Horizonte durante o segundo turno das eleições.

A 10ª Vara Federal  Cível de Minas Gerais determinou na tarde deste sábado (29), a gratuidade no metrô das 7h às 18h, em toda região metropolitana de Belo Horizonte, mediante a apresentação do título de eleitor. Logo de manhã, entretanto, cresceram os relatos que a empresa de transporte não estaria cumprindo a decisão.

Pouco depois das 11h, o presidente do TSE proferiu sua própria decisão, determinando o envio de informações como também o cumprimento da decisão judicial anterior, sob pena de R$ 150 mil de multa por hora em caso de descumprimento e responsabilização dos responsáveis por crime eleitoral.

Continua após a publicidade

Em nota, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) disse que só foi notificada oficialmente da decisão judicial às 10h50, horário a partir do qual passou a cumprir a determinação da gratuidade.

“A ordem prevê a gratuidade do metrô aos cidadãos de Belo Horizonte nas 19 estações do sistema, com programação de domingo, até as 18h de hoje (30)”, confirmou a empresa. “Após as 18h, o metrô retornará ao valor da passagem habitual para todos os usuários. A tarifa unitária é de R$ 4,50”, disse a companhia.

Veja também:

Veja Também