Número de casos de febre amarela cresce 57% em menos de um ano

Segundo o Ministério da Saúde, a preocupação em relação à doença decorre ao fato do vírus estar circulando em regiões metropolitanas com maior contingente populacional

Postado em: 20-04-2018 às 15h40
Por: Victor Pimenta
Segundo o Ministério da Saúde, a preocupação em relação à doença decorre ao fato do vírus estar circulando em regiões metropolitanas com maior contingente populacional

O Brasil registrou 1.157 casos de febre
amarela e 342 mortes decorrentes da doença e
m menos de um ano. Os números são do Ministério da
Saúde e contabilizam os registros feitos entre os dias 1º julho de 2017 e 17 de
abril deste ano. No mesmo período do ano passado, foram 733 casos e 241 mortes
confirmados. Os números apontam um crescimento de 41,9% no número de mortes e
57% no total de casos.

Os estados com maior número de notificações no período são:
São Paulo (2.558), Minas Gerais (1.444), Rio de Janeiro (453) e Paraná (110).
Quanto aos óbitos, praticamente todos estão concentrados em Minas Gerais (156),
São Paulo (120) e Rio de Janeiro (64), à exceção de uma morte ocorrida no
Distrito Federal e outra no Espírito Santo.

Continua após a publicidade

Segundo o Ministério da Saúde, a preocupação em relação à
doença decorre não só do aumento do número de registros em relação ao ano
passado, mas devido ao fato do vírus estar circulando em regiões metropolitanas
com maior contingente populacional, o que pode gerar mais infecções, inclusive
em áreas que nunca tiveram recomendação de vacina.

Sintomas e prevenção

A febre amarela é uma doença viral que causa dores no corpo,
mal-estar, náuseas, vômitos e, principalmente, febre. Os sintomas duram em
média três dias. Em alguns pacientes, o vírus da febre amarela ataca o fígado.
São as complicações hepáticas que levam as pessoas infectadas a ficar com uma
cor amarelada, daí o nome febre amarela. Segundo o Ministério da Saúde,
estima-se que em torno de 30% das pessoas que contraem a doença podem morrer,
se não forem diagnosticadas precocemente.

Caso tenha tais sintomas, a recomendação é a de que o
paciente busque imediatamente atendimento adequado nas unidades de saúde. Já a
prevenção ocorre principalmente por meio da vacinação. Desde o fim de março, o
Ministério da Saúde ampliou para todo o território nacional a recomendação para
a vacina contra febre amarela.

 Fonte: Agência Brasil.

Veja Também