Com tecnologia, máquina de recarga substitui o antigo Sitpass

Novidade está disponível aos passageiros nos terminais Garavelo, Bandeiras e Vila Brasília. Em breve, outros pontos de embarque devem ser contemplados

Postado em: 25-04-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Novidade está disponível aos passageiros nos terminais Garavelo, Bandeiras e Vila Brasília. Em breve, outros pontos de embarque devem ser contemplados

Marcus Vinícius Beck*

Continua após a publicidade

Os passageiros do transporte coletivo já podem recarregar suas passagens com cartão de débito nos terminais do transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia. A tecnologia tem como objetivo dar outras opções de pagamento aos usuários de ônibus e facilitar o processo de embarque nos coletivos. Outra novidade é que já estão disponíveis nos terminais uma nova forma de emissão do bilhete de passagem do transporte público. 

Atualmente, a tecnologia está disponível apenas nos terminais Bandeiras, Garavelo e Vila Brasília. Mas a previsão é de que o sistema seja expandido para todos os terminais e plataformas do Eixo-Anhnguera até o próximo mês. 

Débito

Ao optar por pagar usando o cartão, a recarga pode ser feita nas máquinas de autoatendimento que estão disponíveis nesses terminais. Antes de a medida ser anunciada, já era possível comprar créditos apenas com dinheiro e o passageiro tinha de depositar o valor exato da passagem. 

A estudante universitária Júlia Aguiar, 21, vê a nova forma de pagamento com “um pé atrás”. Segundo ela, o usuário encontra sérios problemas para conseguir andar de ônibus. “Se uma pessoa vier de outra cidade do Brasil dificilmente ela vai conseguir embarque no coletivo, pois não tem o SitPass”, diz a estudante, citando como exemplo o fim do bilhete de embarque, que foi antecipado pelo O Hoje, em março deste ano. Ainda que adote uma forma crítica em relação à novidade, Júlia reconhece que essa forma de pagamento pode surtir efeito. “É o que espero, mas acho difícil”. 

Já o estudante universitário Vinícius Silva Martins, 26, afirmou que a nova forma de pagamento tem vários pontos positivos, e evita tecer críticas sobre a medida. De acordo com ele, os passageiros que antes se sentiam inseguros por andar com dinheiro no bolso, agora podem ficar um pouco mais despreocupados. “Esse é a principal melhoria que a nova forma de pagamento vai trazer às pessoas que são usuárias do transporte coletivo e vivem com medo de ações por parte de bandidos”, diz. “Eles [os bandidos] tocam o terror nos terminais”.

Sistema

Além da nova forma de pagamento, o sistema permite a compra de passagens individuais para usar o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia. A partir de agora, para embarcar com o bilhete de papel – que vem sendo cada vez mais difícil de achar – o passageiro deve procurar uma bilheteria nos terminais. 

Com o novo sistema, os passageiros esperaram que se torne mais fácil recarregar os cartões Fácil, Integração e Metrobus. No momento, usuários vêm encontrando dificuldades para conseguir pôr créditos nas ‘carteirinhas’. “Mesmo que se tenha uma melhoria no sentido da segurança, ainda é perceptível que temos várias dificuldades em encontrar uma banquinha para recarregar”, relata o estudante universitário Vinícius Silva Martins, 26. “Fui até as banquinhas, mas não consegui encontrar uma sequer que estivesse com a máquina de recarregar funcionando”, destaca. 

Extinção

Conforme O Hoje noticiou em março, o bilhete de embarque SitPass vai deixar de existir nos próximos dias. Fontes ligadas ao setor de transporte coletivo contaram na ocasião que uma nova forma de pagamento para andar nos coletivos está sendo analisada. A assessoria de imprensa da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) confirmou que há um projeto em estudo para extingui o bilhete, mas não informou quando ele entrará em vigor ou quais serão as máquinas que irão validá-lo nos terminais. (Marcus Vinícius Beck é estagiário do jornal O Hoje, sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian) 

Veja Também