Presos de Orizona iniciam curso de corte e costura industrial

Nesta etapa, estão sendo capacitados 17 detentos que cumprem pena no local. O treinamento é realizado pelo Senai

Postado em: 26-04-2018 às 11h10
Por: Márcio Souza
Nesta etapa, estão sendo capacitados 17 detentos que cumprem pena no local. O treinamento é realizado pelo Senai

Com presença do diretor-geral de Administração
Penitenciária, coronel Edson Costa, e de diversas autoridades locais, foi
realizada nesta última quarta-feira (25), a solenidade de lançamento do
Curso de Corte e Costura Industrial, destinado a detentos que cumprem pena na
unidade prisional de Orizona.

O curso é resultado de um convênio firmado entre a
Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (Dgap) e o Departamento
Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, que possibilitou a
montagem de uma moderna indústria de confecção no local. Nesta etapa, estão
sendo capacitados 17 detentos que cumprem pena no local. O treinamento é
realizado pelo Senai.

Continua após a publicidade

Em seu pronunciamento, Edson Costa lembrou da luta que o
sistema penitenciário trava contra a movimentação das organizações criminosas
dentro dos presídios, mas que unidades como a de Orizona são determinantes para
devolver aos cumpridores de pena a oportunidade de se reintegrarem à sociedade.
“Queremos que unidades como essa se firmem como módulo de respeito, e que sejam
totalmente voltadas para a reintegração, capacitação e mercado de trabalho,
para os que realmente querem se recuperar”.

Para o diretor da unidade, Fabrício Bonfim, o estado está se
mostrando presente ao fomentar as boas práticas nos presídios. “Estamos aqui
mostrando que o estado cumpre seu papel. Preso que trabalha não dá trabalho”,
afirma. Segundo ele, a unidade é uma das cinco melhores de Goiás e que para
chegar a essa condição contou com o envolvimento de setores governamentais e de
segmentos organizados do município. “Aqui 25% dos presos trabalham. Queremos
dar oportunidade para que todos tenham acesso ao mercado de trabalho”.

Participaram também do evento o prefeito de Orizona Joaquim
Marçal e a primeira-dama Mara Marçal, o juiz da comarca de Orizona, Ricardo de
Guimarães e Souza, o promotor de Justiça, Paulo Eduardo Penna Prado, o
superintendente de Reintegração Social e Cidadania da Dgap, Willian Paulo, o
diretor da Regional Sudeste, Leopoldo Coelho, além de gerentes, servidores e
representantes de diversos segmentos organizados da sociedade.

Modelo

Inaugurada em janeiro de 2017, a unidade prisional de
Orizona tem capacidade para 70 presos no regime fechado, 30 do regime
semiaberto e quatro celas para cumprimento de regime disciplinar diferenciado.
Hoje, o presídio conta com 63 apenados.

O presídio é 100% monitorado por meio de sistema eletrônico
integrado por meio de 44 câmeras, durante as 24 horas diárias. Não houve até a
presente data nenhum registro de fuga ou tumulto no local.

A indústria de confecção instalada dentro da unidade, para
oferecer capacitação e trabalho aos presos, recebeu investimentos na ordem de
R$ 250 mil. Bonfim lembra que em breve a unidade deve abrigar também uma
indústria de artefatos de cimento.

 

Veja Também