Hipertensão atinge mais de 30 milhões de pessoas no País

Conhecida popularmente como “pressão alta”, a doença crônica é determinada pelos níveis elevados da pressão sanguínea no corpo, igual ou maior que 12 por 8

Postado em: 26-04-2018 às 11h35
Por: Márcio Souza
Conhecida popularmente como “pressão alta”, a doença crônica é determinada pelos níveis elevados da pressão sanguínea no corpo, igual ou maior que 12 por 8

Dia 26 de abril é marcado pela celebração do Dia Nacional de
Prevenção e Combate a Hipertensão. Dados do Ministério da Saúde apontam que
mais de 30 milhões de brasileiros sofrem com o problema. Conhecida popularmente
como “pressão alta”, a doença crônica é determinada pelos níveis elevados da
pressão sanguínea no corpo, igual ou maior que 12 por 8.

De acordo com o Prof. Dr. Elia Ascer, cardiologista do
aplicativo Docway, a pressão do corpo pode elevar por inúmeros motivos, mas o
principal deles é a contração dos vasos por onde o sangue circula. “Vamos
pensar no coração e os vasos como uma torneira ligada a várias mangueiras
circulando o sangue. Se fecharmos a ponta dessas mangueiras a pressão dentro
delas vai aumentar. Acontece a mesma coisa quando o coração vai bombear o
sangue para o corpo e as veias estão estreitas. A pressão aumenta”.

Continua após a publicidade

Ainda segundo o médico, se não tratada a hipertensão pode
ter consequências graves como insuficiência cardíaca, insuficiência renal
crônica, AVC isquêmico e hemorrágico, dentre outras. “Essa pressão elevada
acaba atacando os vasos, coração, rins e cérebro, que são recobertos por uma
camada muito fina e delicada, que acaba sendo machucada. Com o tempo, esses
vasos vão ficando endurecidos e ainda mais estreitos e podem entupir e romper”,
complementa.

Por esses motivos, o médico lembra que a hipertensão não tem
cura, mas pode ser controlada e suas consequências mais graves evitadas. “Se
você é hipertenso, é importante reduzir o consumo de sal no dia a dia, assim
como eliminar o consumo de álcool e cigarro. É fundamental, também, controlar a
gordura no sangue mantendo uma alimentação saudável. Para completar, a prática
de atividades físicas é importantíssima”, completa Prof. Dr. Ascer.

 

Veja Também