Goiânia ganha seu primeiro Ecoponto

Prefeitura visa diminuir os impactos ambientais e financeiros na coleta de resíduos

Postado em: 05-05-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Prefeitura visa diminuir os impactos ambientais e financeiros na coleta de resíduos

Raunner Vinicius Soares* 


A Prefeitura de Goiânia lança neste fim de semana, no Jardim Guanabara II, o primeiro Ecoponto da Capital. O local foi construído, pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), com objetivo de ser utilizado pela população para o correto descarte de óleo de cozinha, pneus, galhos e entulhos, entre outros resíduos visando dar o descarte correto aos resíduos sólidos gerados no município.

Continua após a publicidade

O prefeito Iris Resende entrega o Ecoponto localizado na rua GB5 com a GB6, a unidade será uma estação de entrega voluntária de pequenas quantidades de resíduos recicláveis, volumosos e óleo de cozinha usado. O Ecoponto funcionará todos os dias das 7h às 19h. Ele será operado por uma equipe da Comurg, que fará a triagem dos resíduos e encaminhará para destinação correta.

O cidadão pode depositar seu produto gratuitamente. O Ecoponto é todo cercado e composto por caçambas distintas para cada tipo de resíduo. A unidade tem como finalidade evitar que estes objetos sejam descartados de forma irregular pelos moradores, bem como contribuir com a coleta seletiva e com a limpeza da cidade.

O objetivo da administração municipal, também, é reduzir os pontos de descarte irregular nas vias públicas e, consequentemente, diminuir a quantidade de focos de mosquitos, como por exemplo, o Aedes aegypti vetor da Febre Amarela, Chikungunya, Zika e Dengue. Além disso, é prevista a redução de gastos com a remoção destes materiais porta-porta e os provenientes de descartes clandestinos. (Raunner Vinicius Soares é integrante do programa de estágio do jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian) 


Ecoponto Guanabara 

Pode 

Resíduos da construção civil como tijolos, blocos, telhas, placas de revestimento argamassa, concreto e outros;

Materiais recicláveis como plástico, papel, papelão, metal, vidro, madeira, embalagens vazias de tintas, gesso entre outros;

Pneus, até quatro unidades por dia;

Poda de galhos, folhas, capim, entre outros provenientes da limpeza particular, no total até 2 m³, volume equivalente a um reservatório de água de 2.000 litros;

Objetos gerados na residência como moveis, eletrodomésticos e seus componentes. Até quatro unidades por dia.  


Não pode 

Resto de alimentos, rejeito sanitário, entre outros;

Tecnologias que não permitam reciclagem como televisores e similares;

Resíduos de construção como tintas, solventes, óleos e outros; Resíduos de serviço de saúde como órgãos, tecidos, radioativos, perfurocortantes, entre outros.

Resíduos industriais, agrícolas e da pecuária como fertilizantes, defensivos, rações entre outros;

Resíduos perigosos a exemplo de lâmpadas, Pilhas e baterias, eletrônicos, entre outros. 

Veja Também