Mutirama reabrirá só em julho

Reabertura já foi adiada duas vezes. Segundo o presidente da Agetul, a reforma no local ainda não foi concluída devido à dificuldade de comprar alguns equipamentos

Postado em: 05-05-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Reabertura já foi adiada duas vezes. Segundo o presidente da Agetul, a reforma no local ainda não foi concluída devido à dificuldade de comprar alguns equipamentos

Denise Gonçalves Soares*


Após ter a sua reabertura adiada duas vezes, o Parque Mutirama, localizado no Setor Central, deve voltar a funcionar até as férias de julho. De acordo com o presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Alexandre Silva de Magalhães, a demora na conclusão da reforma é devido à dificuldade de adquirir alguns equipamentos. “Algumas peças não são fabricadas no Brasil e por isso estamos aguardando a chegada do material para fazermos a manutenção”, explicou.

Continua após a publicidade

Ainda segundo Magalhães, a manutenção deve durar em torno de 40 a 60 dias, após a chegada destes materiais. A meta da Agetul é de que o parque volte a funcionar antes das férias escolares. “Nós esperamos conseguir terminar tudo até julho justamente porque Goiânia não tem muitas opções de lazer para as crianças”, afirmou o presidente.


Reforma

A princípio o espaço deveria ter sido reaberto em março e posteriormente em abril deste ano. Na época esperada para a primeira abertura, a assessoria do parque informou que os brinquedos ainda estavam sendo vistoriados e ainda aguardava a liberação da empresa gaúcha Belle Engenharia, responsável pela segurança das atrações. Em 31 de janeiro de 2018, a Prefeitura de Goiânia havia fechado um contrato com a empresa no valor firmado de R$ 298 mil, com prazo de 60 dias a ser prorrogado caso necessário.

Por meio do contrato firmado com a Prefeitura, a empresa ficou responsável pela produção de laudos de funcionamento dos brinquedos, acompanhamento da manutenção e de produção dos manuais de funcionamento que serão usados no treinamento dos novos funcionários. A empresa devia ainda atestar a segurança junto a órgãos como o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO), a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros. Outro ponto importante do documento diz respeito à adaptação de alguns brinquedos para pessoas com necessidades especiais.


Acidente

O Parque Mutirama está interditado desde o dia 26 julho de 2017, quando um acidente no brinquedo Twister deixou 13 pessoas feridas. A decisão foi tomada pelo prefeito Irís Rezende (MDB) e anunciada em coletiva de imprensa na data. O acidente ocorreu por volta das 13h30 provocado por uma pane no brinquedo, uma das principais atrações do local.

As vítimas foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), passaram por exames e foram avaliados pela equipe multiprofissional da emergência do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

As obras de readequação técnica e de segurança começaram em novembro, quando equipes da Polícia Civil concluíram o trabalho de perícia no local. O 1º Distrito Policial, por meio do titular Izaías Pinheiro, foi responsável pela investigação do acidente, bem como o Ministério Público de Goiás (MP-GO).


O Parque

Inaugurado no final da década de 1960, o Parque Mutirama chega a receber até 10 mil pessoas durante os finais de semana no período de férias escolares. Assim como o Parque Botafogo, o espaço é dos símbolos da capital goiana é um dos mais representativos parques públicos temáticos do país. Opção de diversão e lazer para toda a família, o Mutirama abriga, além dos brinquedos, o Complexo dos Dinossauros, o Planetário da UFG e o teleférico. 

Veja Também