Idosa de 80 anos inicia estudos em escola de Goiânia

Exemplo para muita gente, inclusive para os colegas de sala, ela segue firme no propósito e já está se arriscando em leituras e escritas.

Postado em: 05-05-2018 às 10h55
Por: Kamilla Lemes
Exemplo para muita gente, inclusive para os colegas de sala, ela segue firme no propósito e já está se arriscando em leituras e escritas.

Aos 80 anos, a aposentada Ephigênia Soares de Jesus tomou uma decisão: “Vou estudar!”. Aluna da turma de extensão de Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja) da Escola Municipal Coronel Getulino Artiaga, ela iniciou as aulas nesta semana. Exemplo para muita gente, inclusive para os colegas de sala, ela segue firme no propósito e já está se arriscando em leituras e escritas.

“Eu nunca estudei, morei na roça a vida toda. Mas agora eu fiquei sabendo dessa possibilidade e então decidi vir aqui procurar pela escola. Deu certo! Fiz a matrícula, já estou aqui e fui muito bem recebida pelas professoras, pelos colegas de sala. Graças a Deus eu tenho saúde e se Ele quiser vou seguir até quando eu conseguir. Quero aprender muito!”, afirmou.

Continua após a publicidade

A professora da turma, Regina Célia Prado de Oliveira, se orgulha de ver o sucesso dos alunos. “Para mim é uma satisfação imensa poder contribuir com a realização do sonho deles. Saber escrever o nome é para eles uma conquista muito grande, é uma representatividade da autonomia. E com tudo isso eu que saio ganhando em ver o quanto eles ficam felizes. Muitos começam do zero mesmo, e agora já saber as ler, escrever”, pontuou.

Outro exemplo é o aluno José Dilson dos Santos, que aos 63 anos de idade comemora o que já conseguiu aprender em dois anos de aulas na Eaja. “Eu cheguei aqui sem saber nada, e hoje eu já sei ler e escrever. Isso mudou a minha vida completamente. Sou muito feliz por isso e grato as professoras daqui, que ensinam com tanto cuidado, carinho e amor cada um dos alunos”, afirmou.

Eaja na rede municipal

A Prefeitura de Goiânia oferece escolarização na Eaja da Alfabetização até 8ª série, para quem ainda não está alfabetizado ou não concluiu o Ensino Fundamental na idade regular em 59 escolas da Capital.

Para o Gerente de Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos, Éderson Saraiva, a Eaja é o grande diferencial na vida de pessoas com idade acima de 15 anos de idade que não se escolarizaram: “É pela EAJA, pelos princípios da educação popular que os educandos ampliam o leque de experiências e conhecimentos científicos produzidos pela humanidade e são incentivados a serem os autores da sua própria história, a dar novos significados e rumos à sua presença e atuação na sociedade”, afirmou.

 

Veja Também