Cinco empresas participam da licitação do Parque Serrinha

Nesta primeira etapa das obras serão realizadas a pista de caminhada, alambrado e iluminação do local, com valor estimado de R$ 4,5 milhões

Postado em: 10-05-2018 às 10h30
Por: Márcio Souza
Nesta primeira etapa das obras serão realizadas a pista de caminhada, alambrado e iluminação do local, com valor estimado de R$ 4,5 milhões

Cinco empresas estão participando
da licitação para a contratação das obras no Parque Estadual do Morro da
Serrinha, em Goiânia. A licitação foi aberta na manhã desta quarta-feira (9), na sede da Secima, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira,
ocasião em que os representantes das empresas interessadas apresentaram a
documentação exigida pelo edital e as respectivas propostas.

A Comissão de Licitação da Secima
vai agora analisar a documentação apresentada pelas empresas para a
homologação. O resultado parcial, com os nomes das empresas habilitadas, deverá
ser publicado no prazo de dois dias no Diário Oficial do Estado (DOE), em um
jornal de grande circulação na capital e no site da Secima. Em seguida será
aberto prazo para recursos. Caso não houver recurso, serão abertas as propostas
comerciais (preços) das empresas para a realização do serviço.

Continua após a publicidade

Nesta primeira etapa das obras
serão realizadas a pista de caminhada, alambrado e iluminação do local, com
valor estimado de R$ 4,5 milhões. A implantação do parque estadual em área
permanente tem o objetivo de promover a proteção e recuperação de áreas de
interesse ambiental sob o domínio do Estado de Goiás.

A requalificação do Morro da
Serrinha é para recuperar e incrementar a preservação do Cerrado no local, mas
também criar um espaço de lazer, com pistas de caminhada, trilhas, mirantes,
iluminação adequada e locais de alimentação.

Localizado no Setor Serrinha, na
parte Sul de Goiânia, o Morro da Serrinha é um dos pontos mais altos da
capital, 819 metros de altitude, e uma área de 108 mil metros quadrados. Ele
tem ainda valor histórico, pois foi sobre ele que o fundador de Goiânia, Pedro
Ludovico, montado a cavalo, vislumbrou onde seria construída a nova capital de
Goiás, na década de 1930.

 

Veja Também