Abertura das inscrições para visita mediada gratuita ao Memorial do Cerrado 

Evento do projeto Sábado Tem Museu possibilita acesso a fósseis de até 600 milhões de anos e a reconstituições de povoados, aldeias indígenas e quilombos

Postado em: 17-06-2024 às 07h15
Por: Leticia Leite
Imagem Ilustrando a Notícia: Abertura das inscrições para visita mediada gratuita ao Memorial do Cerrado 
Evento do projeto Sábado Tem Museu possibilita acesso a fósseis de até 600 milhões de anos e a reconstituições de povoados, aldeias indígenas e quilombos.| Foto: Divulgação

Com o objetivo de promover o acesso à cultura de forma fácil e interativa e também trazer muito conhecimento para a população, o projeto o projeto ‘Sábado Tem Museu’, desenvolvido pela CALÍOPE Projetos e Ações Patrimoniais, tem previsão para realizar uma vez por mês visitas a museus e instituições culturais de Goiânia e Aparecida de Goiânia gratuitamente e com mediação de especialistas. E as vagas para a próxima edição serão abertas nesta segunda-feira (17).

Para participar, é necessário realizar a inscrição que é gratuita, através do aplicativo ‘Fala Sério, aqui tem museu!’. O lugar escolhido para esta edição foi o Memorial do Cerrado, localizado no Campus II da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). O evento será realizado no dia 29 de junho, das 10 às 12h. No local, os participantes do projeto terão acesso a objetos arqueológicos, antropológicos, etnográficos, de Ciências Naturais e de História Natural. 

“O Memorial do Cerrado é um lugar que facilita a compreensão sobre o bioma do Cerrado e como ocorreu a sua ocupação e o seu desenvolvimento ao longo dos séculos. É um tour a céu aberto para conhecer melhor a história do estado de Goiás e promover o contato com a natureza, por meio também de Educação Ambiental e trilhas ecológicas”, descreve a museóloga Bárbara Freire, diretora da CALÍOPE e idealizadora do Sábado Tem Museu.

Continua após a publicidade

Para a mediação dessa visita, haverá uma equipe composta por integrantes da CALÍOPE, gestores do Memorial do Cerrado e estagiários e estudantes da PUC-GO. Promover visitas mediadas, e não apenas guiadas, serve para estimular a troca de conhecimentos e experiências, de acordo com a museóloga. O evento também é inclusivo, tendo um intérprete de Libras para o público com deficiência auditiva.

Experiência diferenciada

O objetivo do Memorial do Cerrado é descrever a origem do planeta Terra até a chegada dos portugueses ao Brasil. Para isso, existe um complexo composto por seis salas que oferecem ao público uma experiência diferenciada. Existe no local o  Museu de História Natural (com artefactos relacionados com o desenvolvimento da Terra e do Cerrado e fósseis até 600 milhões de anos), a Vila Cenográfica de Santa Luzia (reprodução em tamanho original dos primeiros povoados de origem colonial portuguesa na região central do Brasil) e a Aldeia Indígena (ambiente cenográfico em tamanho original de uma aldeia indígena do modelo Timbira).

O complexo conta ainda com o Quilombo (reconstrução de quilombos existentes no Cerrado), o Espaço de Educação Ambiental Dalila Coelho Barbosa (auditório ao ar livre com 150 lugares para oficinas e atividades de lazer) e Trilhas Ecológicas (com 2 km de extensão, na reserva de floresta tropical e de Cerrado que existe na Estação Ciência São José). Além de todos os atrativos, o Memorial do Cerrado foi escolhido para sediar o projeto Sábado Tem Museu por sua organização estratégica.

“Essa instituição trata de temas do período anterior à colonização portuguesa no Brasil, que vem sendo abordado nas primeiras edições do Sábado Tem Museu. A partir disso, o projeto abrange o período colonial com visitas aos ambientes cenográficos, para contextualizar a ocupação portuguesa no Brasil e no estado de Goiás”, explica Bárbara Freire. A lógica da sequência dos lugares escolhidos fica evidente com a ligação entre a terceira edição do Sábado Tem Museu e as anteriores.

A primeira foi realizada na sede da Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em Goiás (IPHAN-GO), com a visita à exposição ‘Goiás: 11 mil anos’, que trouxe objetos que comprovam a ocupação humana no estado goiano há 11 mil anos. Já a segunda edição foi no Museu de Geociências da Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Universidade Federal de Goiás, onde o público pôde conferir objetos fósseis de megafauna e de dinossauros, além de minerais e rochas da formação geológica do planeta Terra.

SERVIÇO

Projeto Sábado Tem Museu – visita mediada ao Memorial do Cerrado
Quando
: 29 de junho 
Onde: Avenida Engler, S/N, Jardim Mariliza – Goiânia
Horário: 10h às 12h

Veja Também