Preso em Goiás suspeito de mandar matar três homens na Cabanagem, em Belém

Segundo investigadores do Pará, suspeito estava foragido do sistema penal paraense e é acusado de participar de atentados contra agentes de Segurança Pública do Estado do Pará| Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Postado em: 07-01-2020 às 22h00
Por: Redação
Segundo investigadores do Pará, suspeito estava foragido do sistema penal paraense e é acusado de participar de atentados contra agentes de Segurança Pública do Estado do Pará| Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Eduardo Marques

Policiais prenderam em Goiânia, nesta terça-feira (7), o homem suspeito de ser o mandante do tiroteio que terminou com três homens mortos e uma mulher ferida no Bairro da Cabanagem, em Belém. Segundo a Polícia Civil de Goiás (PCGO), o investigado estava em um apartamento do Setor Central. Por redes sociais, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, escreveu que o suposto criminoso é conselheiro do Comando Vermelho e um dos seus principais líderes. O Chefe do Executivo do Pará, Helder Barbalho, agradeceu o apoio da corporação. 

O delegado-geral da PCGO, Odair José Soares, afirmou que a corporação estava há dois dias atrás dele. Em entrevista, ele disse que o suspeito fugiu do Pará para Goiás e a esposa estava morando no Estado. 

Continua após a publicidade

O homem preso foi identificado como Jorge Luiz Miranda Pereira. Ele está detido na Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), na capital goiana. 

Segundo a Polícia Civil de Goiás, no momento do cumprimento do mandado de prisão, foi encontrada uma arma de fogo ilegal, razão pela qual ele foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Crime

O crime aconteceu no domingo (5), em um bar na rua São Domingos. As vítimas são o sargento da Polícia Militar Ruy Vilhena Gonçalves, de 51 anos, o sogro dele e um vizinho. A esposa do militar foi atingida pelos tiros e socorrida.

De acordo com a investigação, dois homens que estavam em uma motocicleta desceram do veículo e dispararam 15 vezes. Um dos atiradores vestia uniforme de mototaxista.

Força-tarefa

A Polícia do Pará montou uma força-tarefa, coordenada pela Divisão de Homicídios de Agentes Públicos, para investigar o caso. Segundo as investigações, ainda é cedo para afirmar se o sargento era o alvo dos criminosos.

Até as 19h, os dois atiradores continuavam foragidos. “Todos os outros envolvidos já foram identificados e é questão de tempo às prisões”, informou o governador do Pará, Helder Barbalho, por meio de uma rede social.

De acordo com os investigadores do Pará, conhecido como “Nena”, Jorge Luiz, estava foragido do sistema penal paraense e é acusado de participar de atentados contra outros agentes de Segurança Pública do Estado do Pará. 

Veja Também