Goiás se consolida em primeiro lugar nas contratações de financiamentos de imóveis

Movimento do mercado da construção civil em Goiás é referência nacional e possibilita que goianos realizem o sonho da casa própria| Foto: Wesley Costa

Postado em: 27-01-2020 às 06h01
Por: Sheyla Sousa
Movimento do mercado da construção civil em Goiás é referência nacional e possibilita que goianos realizem o sonho da casa própria| Foto: Wesley Costa

Daniell
Alves

Goiás se
consolida em primeiro lugar nas contratações de financiamentos de imóveis por
pessoa física e com baixo índice de inadimplência. Atualmente, no Estado, o
número de inadimplentes chega a 1.6% contra 2.2% registrado no Brasil, por
quatro anos. As informações foram divulgadas pela Caixa Econômica Federal, em
com representantes da construção civil. Milhares de goianos têm realizado o
sonho da casa própria por meio de financiamentos com preços considerados
acessíveis.  

A
gerente administrativa financeira, Ana
Paula Maza, 36 anos, conseguiu o financiamento de um apartamento após 15
anos vivendo de aluguel. Ela morava em outro imóvel no Parque Amazônia, mas não
estava satisfeita com a localização e o valor do aluguel, que impedia
investimentos em outras áreas de sua vida. “Tive a oportunidade de comprar um
apartamento mais próximo de onde minha mãe mora e não deixei escapar”, conta.

Continua após a publicidade

Há pouco mais de um ano, ela se mudou
para o novo apartamento e ainda está terminando de montar todos os móveis
. “Eu morava em apartamento que já
era mobiliado, então, quando mudei precisei comprar novos”, explica.

Mesmo
com certas dificuldades, ela não se arrepende de ter financiado o imóvel. Hoje,
se comparado com o que Ana Paula pagava de aluguel, ela economiza em torno de
R$ 800. O dinheiro é quase um salário mínimo e vai dar uma grande aliviada no
bolso da gerente. “Foi a realização de um sonho. Não é fácil financiar um
imóvel. Minha vida mudou muito porque hoje tenho um apartamento que posso
chamar de meu”, comemora.

De acordo
com o gerente regional da Superintendência Regional Sul de Goiás da Caixa
Econômica Federal, Valcedir Vicente Rosa, o mercado da construção civil goiano
hoje é referência no país. “É um mercado que contrata muito, possui um fórum de
habitação extremamente especializado e conseguimos fazer boas contratações,
mantendo a sustentabilidade com a inadimplência baixíssima”, enfatiza.

Taxas
acessíveis

Jhennifer Santos, 23 anos, adquiriu
um apartament
o por
meio de financiamento da Caixa Econômica Federal, dentro do programa Minha Casa
Minha Vida. Ela conta que já vinha fazendo simulações por conta própria em
busca das melhores condições. Ela se encantou por um apartamento e fez a
simulação a partir do seu salário, obtendo uma taxa mais acessível. “Achei o
processo bem tranquilo e menos burocrático do que imaginei que seria. O
apartamento fica em uma região boa, bem valorizada e próxima a tudo. O valor
menor nas taxas contribuiu para que eu decidisse fechar negócio”, afirma.

“As
reduções das taxas de financiamento são sempre uma injeção de otimismo. Elas
trazem uma repercussão muito boa do ponto de vista de negócio. Na última
redução que houve, algumas parcelas de empreendimentos nossos caíram em até
30%. Isso colabora para recuperar a credibilidade do mercado e torna o cenário
mais positivo para as aprovações de crédito”, ressalta Ademar Moura, gerente
comercial e de marketing de uma incorporadora de Goiânia.

A queda
nas mensalidades, explica Ademar, reflete em uma melhoria nas possibilidades de
financiamento com relação aos clientes da classe C. “À medida em que a taxa
reduz, é possível encaixá-la mais confortavelmente no orçamento familiar”,
complementa.

Mercado
deve crescer 30%

Neste ano, deve haver um crescimento
de 30% no mercado goiano, prevê a instituição financeira da Caixa. “Fizemos vários movimentos na
redução da taxa de juros da pessoa física e agora vamos fazer o mesmo para
financiamento da produção. Até fevereiro devemos divulgar as novas taxas para
produção das unidades habitacionais”, adianta Valdecir.

De
acordo com o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de
Goiás (Ademi), Roberto Elias, as expectativas do mercado imobiliário no Esatado
para 2020 incluem volume considerável de financiamento da produção, financiamento
aos clientes. “Estamos vencendo nesse momento. Este ano será excelente para
adquirir imóvel. Estamos aguardando alcançar, no mínimo, o dobro do resultado
obtido de 2019 para 2020. Deixamos a crise para trás”, diz.

Roberto
ainda destaca que as construtoras têm procurado atender a todas as faixas de
renda. “Temos imóveis para todo mundo e de todos os perfis: apartamentos em
prédios maiores, empresas menores, as mais diferentes localizações. A inflação
baixa encoraja as pessoas e temos também muita oferta de crédito”, aponta.

Novo
modelo

Valcedir
explica que o novo modelo de atendimento proposto para os clientes,
principalmente para o setor da construção civil, oferece duas unidades: uma
agência empresarial para a área de atacado, que atende clientes com faturamento
entre R$ 30 milhões até R$ 500 milhões, e uma unidade de varejo, que vai
atender na pessoa jurídica clientes com faturamento de até R$ 30 milhões.

De
acordo com ele, o atendimento também engloba toda a rede de agências que
realiza um financiamento a pessoa física.  “Este novo modelo tem dois
objetivos: ganhar consistência em termos de agilidade e também na facilidade na
melhoria dos processos de financiamento”, explica.

O novo
formato está em expansão para o Brasil baseado no estudo e resultados de sua
implementação como teste em Goiás, como a plataforma de habitação. “Goiás se
tornou referência no modelo de atendimento ao cliente, à especialização. O que
foi realizado aqui, participação do mercado, feedback, está sendo levando para
todo o Brasil”, destaca o gerente de varejo da Caixa.

Simulação

No site
da Caixa é possível fazer a simulação de financiamento para saber mais detalhes
sobre os prazos e condições. Após o preenchimento do cadastro, as pessoas devem
se dirigir à unidade da Caixa mais próxima e apresentar a documentação para os
correspondentes bancários ou para o gerente. A Caixa identifica as
possibilidades de uso do FGTS do interessado e o tipo crédito que é mais
adequado para o cliente. (Daniell Alves é estagiário do Jornal O Hoje sob
orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian)

Encontro nacional vai debater o futuro da construção

Acontecerá em Brasília, nos dias 13, 14 e 15 de maio de 2020,
no Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, o 92º Encontro Nacional da
Indústria da Construção (ENIC), com o tema ‘O Futuro em Construção’. Realizado
pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o evento é, segundo
os organizadores, o mais importante fórum de debates dos temas da agenda
estratégica do setor no Brasil, e já está com inscrições abertas.

São esperados cerca de 2 mil participantes do país e do
exterior, entre eles: empresários e executivos de construtoras, incorporadoras
e imobiliárias; autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário;
engenheiros, arquitetos, além de profissionais e estudantes de outras carreiras
da indústria; dirigentes de entidades representativas do setor; desenvolvedores
e fabricantes de tecnologias e materiais aplicados à construção.

O 92º ENIC contará com palestrantes e debatedores
reconhecidos nacional e internacionalmente, das áreas econômica, política,
regulatória, tecnológica, jurídica, ambiental e de controle, entre outras que
têm interface com a construção civil. Eles vão apresentar painéis gerais e
específicos, com assuntos diversificados ao longo dos três dias.

Veja Também