Sexta-feira, 03 de fevereiro de 2023

Doria é flagrado sem máscara em aeroporto e cancela férias em Miami

Governador pediu desculpas e disse que não saiu do Brasil para "desfrutar uma vida com menos restrições" | Foto: reprodução/Twitter

Postado em: 24-12-2020 às 18h00
Por: Carlos Nathan Sampaio
Governador pediu desculpas e disse que não saiu do Brasil para "desfrutar uma vida com menos restrições" | Foto: reprodução/Twitter

Nathan Sampaio

A internet não perdoou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), nesta quinta-feira (24/12), após ser flagrado sem máscara. Antes mesmo de viralizar, o político voltou dos EUA, chegando ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas, nesta manhã, onde também chegou um lote com 5,5 milhões de vacinas da Coronavac.

Após a viagem, Doria se desculpou com um vídeo publicado em suas redes sociais. Na postagem, o governador de SP diz que “reconhece o erro” e esclarece que sobre a viagem. ” Estou de volta a São Paulo em menos de 24 horas, reassumo o Governo do Estado”. 

Continua após a publicidade

“Hoje, 24 de dezembro, véspera de Natal, estou de volta a São Paulo. Antes de explicar as razões da minha viagem, quero pedir desculpas. Desculpas àqueles que imaginaram que eu estivesse deixando a cidade ou ou estado de São Paulo depois de medidas restritivas para desfrutar uma vida confortável com menos restrições em Miami. Não houve essa intenção, não houve esse gesto de pouca responsabilidade da minha parte. Mas, mesmo assim, peço desculpas”, afirmou o político no vídeo. Além disso, ele anunciou, que voltou para o Brasil horas depois de ter chegado a Miami, pois seu vice teria sido diagnosticado com Covid-19. Ele ficaria dez dias nos Estados Unidos. 

Nas redes sociais Doria foi criticado por viajar durante o endurecimento das regras da quarentena no período de festas. A foto que mostra o governador de SP sem máscara foi em um aeroporto, na madrugada desta quarta, em uma fila para um voo com destino a Miami. Apesar disso, ele afirmou que já tinha marcado a viagem antes do endurecimento das restrições e chamou de “infeliz e triste coincidência”.

Veja Também