Goiás tem a menor quantidade de veículos por habitante do Centro-Oeste

Postado em: 03-02-2021 às 21h35
Por: Carlos Nathan Sampaio
Apesar disso, pesquisa Atlas da Notícia revelou que região tem a menor concentração de deserto de notícia | Foto: reprodução

Nathan Sampaio

A quarta edição do Atlas da Notícia, lançado neste ano, revelou que o Estado de Goiás tem a menor quantidade de veículos por habitante do Centro- Oeste. A pesquisa, que teve como objetivo checar a base de dados, gerada nas edições anteriores, para verificar se as empresas mapeadas seguem em funcionamento e, também, com a intenção de aumentar o conhecimento sobre veículos de comunicação. Além do trabalho de checagem da base de dados, os voluntários cadastraram 286 novos veículos, totalizando 1.898 empresas jornalísticas identificadas na região que engloba Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Brasília.

O mapeamento mostrou, também, que o Centro-Oeste é a região que tem a menor concentração de deserto de notícia. Isso por quê Mato Grosso apareceu como o estado com a maior quantidade de veículos por habitante entre os estados brasileiros. São 24,73 empresas jornalísticas para cada 100 mil habitantes. Entretanto, mesmo liderando o ranking nacional, Mato Grosso tem 31,9% de municípios considerados desertos de notícias. Há uma forte concentração das empresas nos principais centros, entre eles, a capital – Cuiabá.

Já Mato Grosso do Sul foi o estado da região que apresentou uma melhor distribuição das empresas noticiosas, tanto que está em segundo lugar no ranking nacional dos estados com menor quantidade de desertos de notícias (11,4%), atrás apenas do Rio de Janeiro (9,8%).

Brasília permanece como a segunda cidade com a maior concentração de veículos jornalísticos (2,4%), atrás de São Paulo (7,3%). No Distrito Federal foi predominante a quantidade de veículos jornalísticos na internet (140), seguidos de jornal impresso (78), rádios (41) e televisões (23).

Em contraste com Brasília está o estado de Goiás que, desde a segunda edição do Atlas da Notícia, tem a menor quantidade de veículos por habitante da região Centro-Oeste. A pouca distância entre os municípios goianos e a capital federal evidencia o contraste. No centro do poder, cobertura massiva e, em municípios próximos, a ausência de mediação jornalística focada em pequenas comunidades. 

Neste levantamento, foi possível constatar a presença de empresas jornalísticas que divulgam as notícias em redes sociais, principalmente Facebook, e que utilizam o WhatsApp como principal meio de contato para recebimento de sugestões de pauta. Importante observar que as redes sociais sempre foram exploradas por empresas jornalísticas localizadas, principalmente, em grandes centros e em regiões com disponibilidade de acesso à internet para a população. O Atlas da Notícia também registrou o fechamento de 272 jornais impressos no Brasil, sendo 15 no Centro-Oeste. 

Atlas da Notícia está na quarta edição e sempre teve a colaboração de 25 voluntários e com o apoio da Uniderp-Anhanguera, Universidade Federal de Goiás (UFG) e Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), para construir uma base de dados aberta e representativa do jornalismo brasileiro. Essas informações são utilizadas para subsidiar estudos, novas pesquisas e análises. O objetivo é contribuir com iniciativas, ideias e soluções que busquem fomentar o jornalismo, especialmente no nível local.

Compartilhe: