Pai e filhos são denunciados pelo MP por homicídio duplamente qualificado, em Perolândia

Postado em: 09-03-2021 às 16h15
Por: Redação
O motivo do crime teria sido ocasionado pela não aceitação do fim de um relacionamento extraconjugal | Foto: reprodução

Da Redação  

O Ministério Público de Goiás (MP-GO),
por intermédio da 6ª Promotoria de Justiça de Jataí, denunciou os agricultores
Edvaldo Marcos de Paula e Marcos Vinícius Santos de Paula e o vereador de
Perolândia Lynneker Santos de Paula pelo homicídio, duplamente qualificado de
Dener Silva de Oliveira. Os três denunciados são pai e filhos.

Segundo o
promotor de Justiça Paulo de Tharso Brondi, com base no inquérito policial que
apurou os fatos, o crime ocorreu entre as 23h20 e às 23h30 do dia 19 de
setembro de 2020, dentro de uma casa no Setor Renovação, em Perolândia. Segundo
relatos, a vítima estava iniciando um relacionamento amoroso com Suelene Soares
Silva, que, na época, havia encerrado um envolvimento extraconjugal com Edvaldo
Marcos de Paula.

No dia do
crime, Dener e Suelene participavam de um churrasco quando o denunciado, que
não aceitava o término da relação compareceu ao evento sem ser convidado.
Tomado por ciúmes, Edvaldo agrediu Suelene, e logo foi contido por outras
pessoas que estavam presentes. Logo após o ocorrido, o agricultor foi à procura
dos filhos para que juntos, matassem Dener.

Golpe
de faca

Os três,
então, voltaram à casa, arrombaram o portão da garagem e invadiram o imóvel.
Edenivaldo José de Paula tentou contê-los, mas levou uma paulada nas costas,
desferida por Lynneker Santos de Paula. Marcos Vinícius Santos de Paula,
segundo a denúncia, entrou rapidamente na cozinha, onde Dener Silva de Oliveira
se escondia e, sem dizer nada nem lhe oferecer chance de defesa, aplicou-lhe um
golpe de faca no lado esquerdo da região torácica. Em seguida, os três fugiram
para Mineiros.

Segundo o
promotor de Justiça Paulo de Tharso Brondi, os denunciados, “mancomunados,
assim agiram para se vingar do fato de, minutos antes, Edvaldo Marcos de Paula
e Dener Silva de Oliveira terem entrado em luta corporal, fato que somente
ocorreu porque a vítima defendera Suelene Soares Silva das agressões
perpetradas por Edvaldo”. 

Compartilhe: