Operação sem Fronteiras prende casal por lavagem de dinheiro

Postado em: 16-03-2021 às 18h00
Por: Redação
Os suspiro respondiam processo criminal em Goiatuba | Foto: reprodução

Da redação O

Uma fase da Operação Sem Fronteiras prendeu, nesta terça-feira (16/03), um casal Milton e diversas peças de luxo em uma ação realizada pelo Ministérios Públicos de Goiás (MP-GO) em parceria com a 2ª Promotoria de Justiça de Goiatuba e do Paraná (MPPR). A atuação também teve intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Foz do Iguaçu. Segundo informações, a operação teve como objetivo colher novos elementos para comprovar delitos realizados pelo casal.

Os mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Goiatuba. O casal autuado responde processo criminal na cidade de Goiatuba por lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos. Durante a ação, foram apreendidos, em uma casa localizada em condomínio de luxo em Foz de Iguaçu, uma quantia em dinheiro, em cédulas de real e dólar; duas caminhonetes – Amarok e Toyota Hilux –; um Ford Mustang e uma SUV Hilux SW4; cautelas de penhor; cartões bancários; uma máquina de cartão e outros documentos. 

Ação penal

A ação penal em curso na 2ª Vara de Goiatuba é resultado da prisão em flagrante de Milton Gomes e Bianca Cruz Martinez, ocorrida no dia 5 de maio de 2020, na BR-153, naquela região. Durante abordagem policial, o casal foi preso por ocultação da origem de propriedade de um veículo Toyota Hilux SW4, bem como de 727 notas de R$ 100,00; 984 notas de R$ 50,00; 18 notas de R$ 20,00; 4 notas de R$ 10,00; 100 cédulas de 50 euros e 185 notas de 100 dólares. O dinheiro estava escondido no carro e parte dele pregada no corpo de Bianca Cruz Martinez e de outras duas pessoas que estavam no veículo. Também foram apreendidos com o casal 2 cheques no valor nominal de R$ 250 mil cada e 2 cartões de crédito no nome falso de Mateus Queiroz.

Milton Gomes apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em nome de Mateus Queiroz, enquanto Bianca Cruz Martinez utilizava uma Carteira de Identidade, emitida no Estado do Pará, em nome de Bianca Martinez. Depois da prisão, foi constatado que Milton Gomes já possuía mandado de prisão expedido pela Justiça Estadual de São Paulo, na comarca de Urânia, pelos crimes de estelionato e extorsão.

A prisão em flagrante do casal foi convertida em preventiva em Goiatuba. O MP-GO denunciou criminalmente os dois. Posteriormente, a Justiça concedeu-lhes medida cautelar alternativa à prisão, consistente no monitoramento por tornozeleira eletrônica. Contudo, eles descumpriram as regras do sistema de monitoramento e, por esse motivo, em 23 de outubro do ano passado, tiveram o benefício revogado e a nova prisão preventiva decretada.

 

Compartilhe: