Má gestão faz com que Renda Família não alcance nem metade do público esperado

Postado em: 22-03-2021 às 19h40
Por: Carlos Nathan Sampaio
Menos de 8 mil pessoas realizaram até o momento a solicitação do benefício e, por conta das burocracias e exigências, apenas metade foi contemplada | Foto: reprodução

Jailson Sena

Mais de 40 dias após a sanção do Programa Renda Família da Prefeitura de Goiânia, projeto assistencial de seis parcelas mensais de R$ 300,00 para pessoas em situação de vulnerabilidade, o benefício ainda não alcançou nem 25% do público esperado, que era 24 mil famílias, segundo o prefeito Rogério Cruz, na época do lançamento. O custo total do auxílio é estimado de R$ 7 milhões ao mês. 

Até o último domingo (21/03), apenas 7.142 já haviam feito a inscrição para receber o auxílio municipal. Já o número de beneficiários contemplados que irão receber o cartão é de 2.887. Atualmente, 3.495 solicitações estão sendo analisadas. Mesmo com a aprovação desses cadastro, o número não atinge nem 50% do esperado. A média diária de pedidos, segundo a prefeitura, é de 247.

O pico de solicitações, até o momento, foi registrado no dia 23 de fevereiro. Nessa data foram registradas 795 solicitações. Do total de pedidos, 4.768 foram feitos pelos proprietários dos imóveis e 2.374 por inquilinos ou residentes em propriedades cedidas. 

Para o vereador Kleybe Morais, do MDB, os números mostram que a gestão do secretário de Finanças, Alessandro Melo, não possui qualificação para o cargo. “Já vimos de longe a incompetência do secretário desde o IPTU Social, que não atingiu nem 2% do esperado”, comentou. 

Para ele, a gestão de Melo pode deixar o prefeito Rogério Cruz (Republicanos) em maus caminhos. “Isso coloca a situação de Rogério em maus lençóis, pois como que um secretário divulga uma situação e não consegue atingir nem metade?”, finalizou. 

Compartilhe: