Paridade de gênero marcará as eleições na OAB em Goiás

Postado em: 27-03-2021 às 10h15
Por: Raphael Bezerra
Com aproximadamente 20 mil eleitores, as eleições acontecerão em novembro, mas já há sete postulantes que iniciaram as suas movimentações | Foto: Reprodução

Dayrel
Godinho 

Com
aproximadamente 40 mil filiados no Estado a eleição para a presidência da Ordem
dos Advogados do Brasil (OAB Goiás) que acontecerá em novembro deste ano já
está movimentando o grupo de postulantes à diretoria da maior entidade
classista que existe no Estado, com pelo menos 20 mil advogados aptos para
participarem das eleições.

E as
eleições deste ano terá uma novidade, que é a paridade de gênero. Só poderá
concorrer às eleições a chapa que estiver completa, com 50% de homens e 50% de
mulheres, que foi uma conquista de uma das presidenciáveis cotadas para
concorrer às eleições de novembro: a doutora e professora de Direito Valentina
Jungman, que foi autora do Projeto Valentina: Paridade Já. 

A
advogada é cotada para a presidência, mas despista sobre a possibilidade de
concorrer como cabeça de chapa, porém o resultado do projeto Valentina, que alterou
o percentual mínimo de mulheres para concorrer em uma chapa para a presidência
da OAB, a nível nacional, de 30% para 50%.

“Sem
dúvida a representação numérica, igualitária e paritária torna os espaços
políticos mais democráticos, harmonizando as diferenças”, afirmou Valentina,
que mesmo cotada, ainda não assumiu a sua pré-candidatura

Situação 

Além de
Valentina, há outros dois candidatos do atual grupo que está na presidência da
OAB, hoje, com o dr. Lúcio Flávio. Deste grupo, há como postulantes o
diretor-geral da Escola Superior de Advocacia da OAB, Rafael Lara; o presidente
da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag), Rodolfo Otávio, e o
atual secretário-geral da seccional da OAB Goiás, Jacó Coelho, que também está
cotado pelo grupo. 

A
tendência é de que algum destes nomes seja escolhido pelo grupo quando estiver
próximo das eleições, como afirma o presidente da OAB, Lúcio Flávio. Ao ser
procurado, o presidente disse que o momento agora é de trabalhar. “Não estamos
no clima das eleições, mais para frente eu me manifestarei”, comentou Lúcio
Flávio. 

Oposição 

O
ex-vice-presidente, ex-secretário-geral, ex-conselheiro seccional e
ex-presidente de algumas comissões temáticas, como a comissão de Direito
Eleitoral, Júlio Meirelles, é um dos cotados para concorrer às eleições para a
presidência da OAB Goiás. O advogado também não confirma a sua participação no
pleito. Disse que ainda é uma “pretensão”. “Atuei de diversas formas na OAB
Goiás e acredito que tenho a percepção do que é necessário para a classe,
entendo os anseios da advocacia”, publicou Meirelles. 

Entre os
cotados para concorrer pela oposição está o advogado tributarista André Abrão,
que pode ser o nome escolhido pelo grupo de oposição Nova Ordem, que teve o
Pedro Paulo de Medeiros nas últimas eleições. Abrão, porém, afirma que a
definição acontecerá somente “daqui a dois meses”.

Outro
nome novo da advocacia cotado para enfrentar o grupo do atual presidente, é o
advogado Pedro Miranda, que representa um grupo novo ligado à OAB. (Especial
para O Hoje)

Compartilhe: