Goianos recebem capacitação sobre empreendedorismo inovador

Postado em: 16-10-2021 às 14h00
Por: Augusto Sobrinho
A Maratona Centelha será realizada pela Escola do Futuro do Estado entre os dias 14 e 25 de outubro | Foto: Reprodução

Começaram, nesta quinta-feira (14/10), as atividades da Maratona Centelha. O projeto de mentoria foi criado pela Escola do Futuro do Estado de Goiás (EFG) para ajudar os participantes do Programa Centelha 2, que apoia a geração de empreendimentos inovadores. As aulas acontecerão até o 25 de outubro, de maneira remota por meio dos serviços tecnológicos e ambientes de inovação (Stais) da EFG.

Sem limites de vagas, os microempreendedores aprenderão sobre empreendedorismo inovador em uma trilha de capacitação, treinamento e orientação de modo a impactar o processo criativo de design e modelagem econômica de empreendimentos e/ou projetos de base tecnológica. Com isso, muitos projetos inovadores serão tirados do papel e passarão a contribuir economicamente com Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.

A mentoria está estruturada em quatro fases: trilha de serviços criativos destinados ao design e modelagem de empreendimentos inovadores, coworking e ideação de projetos de empreendedorismo, pré-incubação de empreendimentos de base tecnológica e prestação de serviços tecnológicos para validação de produtos/serviços/processos inovadores.

Lembrando que o prazo para submissão das ideias ao Centelha 2 começou no dia 15 de setembro e prossegue até 26 de outubro através do site institucional do programa. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (FAPEG) vai selecionar receber até R $60 mil cada para compartilhar custos e riscos a serem assumidos pelos empreendedores para o desenvolvimento do projeto.

De acordo com o Edital Nº 05/2021 Fapeg, serão apoiados projetos inovadores nas seguintes temáticas: automação; big data; biotecnologia e genética; blockchain; design; eletroeletrônica; geoengenharia; inteligência artificial e machine learning; internet das coisas (IoT); manufatura avançada e robótica; mecânica e mecatrônica; nanotecnologia; química e novos materiais; realidade aumentada; realidade virtual; segurança, privacidade e dados; tecnologia social; tecnologia da informação (TI) e telecom.

O presidente da Fapeg, Robson Vieira, ressalta a importância do fomento como estratégia de impulsionar o ecossistema de inovação goiano: “Percebemos que não basta ter a ideia, é necessário se dedicar ao projeto e estudar o mercado, e o fomento público vem como forma de capacitar e financiar essas ideias inovadoras, estimulando assim a economia. O aporte público fortalece o ecossistema, estimula a comunidade a empreender, abre portas para diferentes públicos e gera emprego e renda”, destaca.

Dicas

O mentor de carreira, consultor de mercado e professor de planejamento e marketing da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), Cárbio Waqued, destaca que empreender pode não ser tão fácil e, por isso, deu quatro dicas para os jovens poderem começar a empreender. Ele ressalta que são também áreas que auxiliam no processo de criar o próprio negócio.

Primeiro, “pesquise”. Buscar conhecimento nas plataformas digitais está cada dia mais fácil, além de haver cursos bastante acessíveis. Com o domínio da informação, o jovem se mostra útil para o público, sendo assim, ele deve aprender sobre as ferramentas disponíveis e se profissionalizar.

Segundo, “é preciso entender que o jovem tem que estar visível nas redes sociais”. Elas possuem recursos que contribuem no desenvolvimento das habilidades e, principalmente, no crescimento que o negócio pode alcançar.

Terceiro, “saber que hoje o mercado não é só orgânico, só gratuito e só das coisas que podem ser feitas e publicadas para ter logo um reconhecimento, será necessário fazer pequenos investimentos”. É importante fazer uma poupança para que possa usá-la na área de atuação.

Quarto, “entender o poder de contar histórias”. O storytelling é dar continuidade ao seguidor e transmitir o conteúdo de forma envolvente. Isso mostra para o público o domínio daquilo que o jovem deseja passar e dá importância para o produto ou serviço que ele está oferecendo.

Compartilhe: