História da Cidade de Goiás é contada em espetáculo

Postado em: 03-03-2016 às 00h00
Por: Sheyla Sousa
Por meio das poesias de Cora Coralina, ‘A Herança das Pedras’ pretende valorizar a cultura goiana

Luisa Guimarães

A antiga Vila Boa, hoje Cidade de Goiás, é aquele tipo de cidade que emana história em cada esquina. É considerada Patrimônio Histórico não por acaso. Suas tradições e arquitetura carregam séculos e mais séculos de história e cultura da cidade, da região e do estado. O resgate disso tudo é o que A Herança das Pedras pretende fazer, espetáculo musical que estreia amanhã (4), às 20h, no Teatro Sesi.

Falando de Goiás Velho, como a cidade também é conhecida, um nome vem à cabeça quase que automaticamente: Cora Coralina. O seu trabalho como doceira era con­siderado por ela o que fazia de melhor, mas foi por suas poesias que ficou reconhecida. Nos escritos é Cora, na vida era Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas. A partir das suas poesias que o texto de A Herança das Pedras saiu – pedras, estas, sempre descritas por Cora remetendo-se às ruas de Goiás. O roteiro da peça é uma releitura das obras da poetisa, da mesma forma que ela escreveu – dividido em três fases, começando da infância de Aninha. 

Antes de tudo, o musical busca um resgate das tradições goianas, como explica Vanderlei Roncato, que assina a direção geral e artística. “O projeto é meu e surgiu com a ideia de valorizar a cultura goiana”. Na produção do texto, que foi feita juntamente com o dramaturgo Wesley Neres, ele baseou-se na história de vida de Cora, que é contada por meio de suas poesias, que contam a história da Cidade de Goiás. 

Unindo música, teatro e dança, o espetáculo conta com letras e arranjos originais, já que a ideia é valorizar a cultura local. No elen­co, todos artistas goianos – músicos, dançarinos, atores. São dez profissionais dirigidos pelo ator Edson Oliveira, seis músicos conduzidos por Pedro Oliveira e oito bailarinos coreografados por Joisy Amorim.

O musical é dividido em três partes, como na história contada pela poetisa. Na vida adul­ta, Cora é interpretada por Luzia Melo.  Ingrid Gomes dá vida à poeta na adolescência, e Ana Beatriz Roncato vira Aninha, a Cora da infância. O elenco é composto, ainda, pelos atores e bailarinos Júlio Rudgere, Cássio Neves, Adri­ana Lopes, Mariana Lovi, Pedro Bitencourt, Lynda Maria Roncato, Ana Beatriz Sá e Samuel de Almeida. Participam também José Luiz Franco, Jader Chaves, Gleyson Moreira, Matheus Reinaldo, Tainara Carareto, Andres­sa Tavares, Lara Gomes e os músicos Pedro Oliveira, Renan Eric, Charles Figueira, Darby Paes, Jader Couteiro e Tiago Ayala.

A doceira, que às vezes escrevia poesias em seus cadernos, cursou apenas até a terceira série primária. Vendendo doces, criou os quatro filhos após a morte do marido. Nas ruas de pedra da Cidade de Goiás, construiu grande parte da história que será retratada no musical, com composições que remetem à antiga Vila Boa, em suas expressões e riquezas culturais.

SERVIÇO

‘A Herança das Pedras – O Musical’

Quando: Amanhã (4)

Horário: 20h

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). Estudantes, idosos acima de 60 anos e industriários mediante comprovação pagam meia entrada

Classificação: Livre

 

Compartilhe: