Renata Rosa se apresenta hoje em Goiânia

Premiada no exterior, a cantora Renata Rosa apresenta hoje à noite, em Goiânia, um show com sons regionais do Nordeste como coco e maracatu

Postado em: 09-09-2016 às 06h00
Por: Redação
Premiada no exterior, a cantora Renata Rosa apresenta hoje à noite, em Goiânia, um show com sons regionais do Nordeste como coco e maracatu

Tem voz que é rio, a de Nana Caymmi, por exemplo. Tem voz que é cristal, como a de Gal Costa. Tem voz que é terra, a de Maria Bethânia. Tem voz que é flor, como a de Marisa Monte. Tem voz que é aço e fere, a de Elis Regina. Tem voz que é fogo, a de Elza Soares. E tem a voz de Renata Rosa, uma voz que evoca as raízes do chão e o barro dos vasos moldados por mãos calosas de mulheres que enfrentam a dureza e a doçura da lida. É a voz de muitas, de outros tempos, cheia de oralidades, de uma brasilidade que não se expõe na vitrine. Renata Rosa tem voz de cirandeira. 

E é essa voz que será ouvida ao vivo, em Goiânia, pela primeira vez. Com uma carreira que passa ao largo da grande mídia, a cantora já roda o mundo com sua rebeca há quase 20 anos e aos poucos – e há pouco tempo – tem se tornado mais conhecida graças à internet. É uma das mais premiadas cantoras internacionalmente – recebeu o Choc de l’Année 2004, maior premio dado à música no mundo, pelo Le Monde-de la Musique, por seu primeiro CD, Zunido da Mata, e o Prêmio da Música Brasileira 2009 como Melhor Cantora Regional, por seu segundo CD, Manto dos Sonhos.

Renata Rosa é paulista de nascença e pernambucana por escolha. Foi no bairro do Braz, onde nasceu, que o encantamento com a cultura nordestina aconteceu primeiro. Ela estudou Letras e Fonoaudiologia na USP e Música com habilitação em Canto na Universidade Livre de Música Tom Jobim, em São Paulo, e integrou o Núcleo de Ação e Performance do Polo Sul Americano do Ator Contemporâneo no Rio de Janeiro e em Ohio, nos Estados Unidos. 

Continua após a publicidade

A curiosidade e a paixão pelas cantorias de viola e repentes a levaram para Alagoas e, depois, Pernambuco, onde viveu, aprendeu e incorporou em seu trabalho autoral as expressões populares e o universo poético-musical da Mata Norte pernambucana. Desde então, Renata vem pesquisando, resgatando e readaptando temas de domínio público, cantos de excelência, coco e maracatu, além de compor sobre essas matrizes. Os cantos indígenas, a música do norte da África, Oriente Médio e Península Ibérica são outras referências em sua forma de cantar e compor.

Atualmente, ela está em turnê de lançamento de Encantações, o terceiro álbum, que foi produzido com ajuda de financiamento coletico. No álbum, a cantora, compositora e rabequeira oferece um belo tecido sonoro, fruto de intensa relação entre música e literatura. Há parcerias com Ariano Suassuna e influências de Alice Ruiz.

Rosa viveu intensamente no Baixo São Francisco, onde o canto sinuoso e polifônico indígena tornou-se uma de suas principais escolas e fontes de inspiração. Com mais de 190 shows realizados na Europa ao longo de dez anos – turnês em grandes festivais e teatros, criações em Paris para o Museu do Louvre, para o Theatre de La Ville, e o Theatre des Bouffes du Nord – Renata Rosa vem azeitando seus shows, sua banda e criando um público fiel. 

Já esteve até na Globo, como a protagonista feminina Maria Safira, da minissérie A Pedra do Reino, dirigida por Luiz Fernando Carvalho. Renata também foi a responsável pela composição das músicas dos coros para essa obra. E o diretor escolheu também uma música de seu primeiro CD para a trilha sonora de Velho Chico, atual novela das 21h. Ela destoa do padrão comercial da emissora do ‘plim-plim’. Está mais para os festivais de música, dos festivos saraus, das Folias de Reis. Para eventos musicais como a Prosa Sonora, festival que já nos brindou com Dona Onete, A Barca, Chapéu Di Paia, Dona Onete, Jeferson Leite e Trio Gavião, Pé de Cerrado, Vida Seca, Renata Rosa, Maracatu Alto do Riviera  – dentre outros artistas.

A quarta e última edição da Prosa Sonora 2016 terá sonoridade da rabeca e de materiais reutilizáveis. A cantora Renata Rosa, o grupo Vida Seca e o DJ Mário Pires vão se apresentar, hoje à noite, no Teatro Sesi. Os shows começam às 20h, e a entrada é franca. Renata Rosa apresentará um espetáculo recheado de maracatu rural, coco, ciranda e xangôs. 

SERVIÇO: 
‘Prosa Sonora’: Renata Rosa + Vida Seca  e DJ Mário Pires

Onde: Teatro Sesi – Av. João Leite, nº 1.013, Setor Santa Genoveva – Goiânia
Quando: Hoje (9 de setembro)
Horário: 20h
Entrada franca

Veja Também