Itaú Cultural celebra centenário do samba com exposição sobre Cartola

No ano em que se comemora o centenário do samba no Brasil, o Itaú Cultural traz para São Paulo a Ocupação Cartola

Postado em: 20-09-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa

No ano em que se comemora o centenário do samba no Brasil, o Itaú Cultural traz para São Paulo a Ocupação Cartola que, até o próximo dia 13 de novembro, mostrará ao público a vida e a obra do lado poeta, erudito e contemporâneo do músico Angeor de Oliveira, o Cartola, que nasceu em 1908 e morreu em 1980. Na visita, será possível conhecer o sambista e fundador Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, do Rio de Janeiro, e seu processo de criação. A homenagem se estende ainda ao grande amor da vida de Cartola, Dona Zica, também sambista da Mangueira. 
A curadoria fica por conta da cantora Fabiana Cozza e os Núcleos do Itaú Cultural de Música e de Enciclopédia, com consultoria de Nilcemar Nogueira, neta de Cartola. Em seis eixos, a linha curatorial desenvolve o fio da vida e pluralidade de Cartola, em paralelo a uma das histórias de amor mais famosas do mundo do samba: 1908, O Nascimento, Encontros/Rua, Zicartola, Casa/Varanda, Palácio do Samba e Cartola de Ouro.
A exposição percorre a vida de Cartola desde o nascimento no Catete, bairro do Rio de Janeiro, sua mudança para o Morro da Mangueira. Fala da gravação de seus quatro discos solo, das mais de 500 canções escritas e da parceria com compositores como Carlos Cachaça, Dalmo Castello e Elton Medeiros. A entrada da exposição é marcada por fotos de época, seguida pelo modo de viver de Cartola dentro de casa, do Palácio do Samba e por fim o legado deixado pelo mestre na voz de consagrados nomes da música brasileira.
Segundo a curadora, Fabiana Cozza, a Ocupação Cartola mostrará poemas inéditos, com nove deles transformados em uma publicação, que será distribuída durante a mostra. Há ainda fotos de família e audiovisuais. São 47 originais, entre imagens e manuscritos e o som da música Quem me Vê Sorrindo, escrita em parceria com Carlos Cachaça, o primeiro registro gravado de Cartola. Há ainda declamações de letras de suas canções por músicos da atualidade, como As Bahias e a Cozinha Mineira, Juçara Marçal, Ellen Oléria e Rico Dalasam, dentre outros.
A Ocupação Cartola apresenta ainda recursos para portadores de deficiências visuais e auditivas, como mapas e pisos táteis e audioguia. Os materiais escritos têm texto em braile e todos os vídeos exibidos na exposição têm tradução em libras e legendas. Ao mesmo tempo, ocorrerão apresentações, oficinas e debates relacionadas a Cartola.

Veja Também