Mostra ‘Não Existo Sem Meu Corpo’ é aberta hoje

Exposição congrega artistas que usam o corpo como matéria-prima da criação de trabalhos

Postado em: 25-10-2016 às 06h00
Por: Redação
Exposição congrega artistas que usam o corpo como matéria-prima da criação de trabalhos

Da redação

O R³  Gabinete de Arte inaugura, nesta terça-feira (25), às 20h, a exposição Não Existo Sem Meu Corpo, apresentando a primeira mostra dedicada à performance realizada em galeria privada de Goiânia. A mostra ficará em cartaz até o próximo dia 5 de novembro. Na quarta-feira (26), às 20h, serão apresentadas quatro performances: Sua Vez, do Grupo EmpreZa; Abdução Para Pequenas Revoluções, de Anna Behatriz Azevedo; Gravidade Existencial, de Hélio Tafner; Atos da Transfiguração: Desaparição, ou Receita de Como Fazer um Santo, de
Antônio Obá. Devido ao espaço reduzido, terão acesso às performances os primeiros que chegarem ao local. A entrada é gratuita.

Com curadoria de Divino Sobral, a exposição congrega artistas que usam o corpo como matéria-prima da criação de trabalhos que promovem a ampliação do conceito de arte-performance, pesquisando novos suportes e meios para configurar e veicular a obra, criando hibridações entre as categorias visuais e gerando inquietantes significados.

Continua após a publicidade

Dos dez artistas presentes, nove são de Goiânia; apenas um é de Brasília. “São artistas e um coletivo que chamam a atenção da crítica e do público pela inteligência de suas propostas, pelo impacto subjetivo e afetivo de suas poéticas, pela desestabilização de padrões de arte e de comportamento social”, diz Sobral.

Segundo o curador, o objetivo da exposição é “mostrar que, apesar de absorvida pelo circuito de arte, a performance ainda resiste em sua capacidade de causar estranhamento e de manifestar a ligação vital entre arte e vida, pois é uma linguagem materializada na matéria essencial da existência do artista: seu corpo”. 

“A imersão da atividade artística no  contexto cotidiano da vida implica em sua contaminação com os limites reais do corpo, com a exumação dos traumas psíquicos individuais e coletivos que nele se animam, com as imposições sociais de gênero e raça que circunscrevem os territórios de circulação de diferentes corpos, com a crise da identidade e com o confronto com a alteridade, com os problemas da economia subjetiva do sujeito em diálogo com a objetividade concreta do mundo”, acrescenta o curador. 

Não Existo Sem Meu Corpo apresenta obras dos artistas goianos Anna Behatriz Azevedo (transita entre artes visuais, performance  e dança); Babidu Barboza (integrante do Grupo EmpreZa que exibe trabalho solo); Dalton Paula (realizador de performance e de pintura, participante da 32ª Bienal Internacional de São Paulo); Enauro de Castro (mais veterano do conjunto e que mostra trabalho relacionado à história goiana); Hélio Tafner (jovem artista que usa a performance em cruzamento com a fotografia);  Paul Setúbal (faz de seu sangue pigmento para pintura); Pitágoras Lopes (cria intervenções de máscaras sobre seu próprio rosto); Yara Pina (media suas performances violentas por fotografia ou vídeo); o coletivo Grupo EmpreZa (com registro de performances desenvolvidas com Marina Abramocich). Completa a seleção ampliando olhar para a vizinhança de Goiânia o artista brasiliense Antônio Obá, que apresenta a performance ganhadora do Prêmio de Artes Visuais Transborda Brasília 2016.

SERVIÇO:
Exposição ‘Não Existo Sem Meu Corpo’
Quando: De 25 de outubro a 5 de novembro. Horários: De terça a sexta-feira, das 13h às 19h, e aos sábados das 10h às 14h
Onde: R³ Gabinete de Arte – Rua R2, nº 78, Setor Oeste, Goiânia

Veja Também