Museu do Divino, em Pirenópolis, é reaberto ao público

Postado em: 21-07-2021 às 08h25
Por: Redação
O acervo do Museu do Divino é efeito da contribuição de moradores comprometidos em preservar a cultura local | Foto: Alexandre Aires

Após reformulação da ambientação e do acervo, o Museu do Divino, em Pirenópolis, reabriu para visitação do público neste mês de julho. Localizado em uma das edificações históricas mais importantes da cidade, na Casa de Câmara e Cadeia, o museu funciona de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 14h. A reformulação do museu teve como principal intuito aumentar a acessibilidade ao público, além de incluir novas peças ao acervo.

O Museu do Divino agora também conta com três salas organizadas por temática: a sala do Império, a dos Mascarados e a Geral, que traz detalhes das diversas manifestações culturais dos pirenopolinos, tais como as Pastorinhas e as Congadas. “Antes, o museu ficava na parte superior do prédio, o que limitava muito o acesso de pessoas de mais idade e cadeirantes. Então, reformulamos o museu por causa disso, para proporcionar mais acessibilidade a todas as pessoas”, informa Lara Lopes, assessora cultural da Secretaria de Cultura de Pirenópolis.

Além do acervo, o prédio em si é uma atração à parte. “É a segunda Casa de Câmara e Cadeia da cidade, construída em 1919 às margens do Rio das Almas, próxima à ponte de madeira”, informou Wesley Salles, chefe de gabinete da Secretaria de Cultura.

O que mantém o museu

Desde sua inauguração, o Museu do Divino vem melhorando o acervo com peças da tradicional Festa do Divino Espírito Santo, muitas delas foram adquiridas por meio de parcerias com os moradores da cidade sensibilizados em manter a cultura. As pessoas fazem parte dessa manifestação cultural, e nada melhor que ser parte também do lugar onde esse evento é representado de forma tão natural aos visitantes. Toda doação feita ao museu, recebe uma etiqueta, informando a pessoa que a fez.

O museu conta com a colaboração de pessoas que se preocupam em preservar a cultura e manterem vivas as tradições. Muitas peças foram doadas pelo Eduardo Tadeu do Nascimento (Sacristão), o Adelmo Carvalho (Iphan) também foi responsável por várias doações para o museu desde sua inauguração. O Colégio Estadual Senhor do Bonfim, doou duas maquetes de Igrejas do município.

O museu também recebeu das mãos do Paulo Augusto Curado uma roupa completa de cavaleiro mouro infantil, utilizada pelo seu filho em uma apresentação escolar. Para completar esse objeto que poderá ser visto pelos visitantes, Myrian Rakeline Bauer doou um manequim infantil. Basta se interessar pela cultura local e ir de encontro com grandes histórias disponíveis no museu.

Compartilhe: