Terça no Teatro: “Adan Experience” aborda limites da arte, realidade e ficção

Postado em: 12-09-2021 às 17h45
Por: Felipe Cardoso
Espetáculo também aborda aspectos da ciência, conhecimento e da existência humana

O espetáculo da Cia Teatral Oops será apresentado na próxima terça-feira (14/9) pelo Terça no Teatro. Essa temporada do projeto é realizada, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, Secretaria Especial da Cultura e Ministério do Turismo, com o patrocínio do Instituto Cultural Vale. A apresentação será híbrida, portanto, o público poderá acompanhar de forma presencial ou pelo canal do Teatro SESI no YouTube, a partir das 20h. A peça com classificação livre tem a duração de 60 minutos e será traduzida para Libras.

“Adan Experience” é uma obra que joga com os limites da arte, do teatro e da nossa própria existência no planeta Terra. A dramaturgia foi toda desenvolvida partindo do processo criativo e dos treinamentos e laboratórios desenvolvidos entre ator e diretor, durante a residência artística da Cia Teatral Oops! (Brasil) com a Aula de Teatre de Lleida (Catalunha), partindo de pressupostos das diferentes culturas e procedimentos técnicos de criação cênica. Romper as barreiras culturais, idiomáticas e artísticas, em prol de uma obra de teatro foi o ponto de partida da “experiência”.

Segundo o ator João Bosco Amaral foram feitas poucas apresentações desse espetáculo. A peça foi montada na Espanha e exibida em duas cidades lá, como ainda algumas vezes no Brasil. “No geral foram poucas apresentações, principalmente aqui em Goiânia. Então acredito que seja uma boa oportunidade para o público conhecer melhor o trabalho, até porque no próximo mês estou embarcando para Portugal onde irei fazer um mestrado na Universidade do Minho, em Braga, e é possível que essa seja nossa última apresentação nos próximos dois anos aqui em Goiânia”, explica.

A mensagem que “Adan Experience” pretende passar para o público é de como lidar com os novos desafios, às tecnologias, às Fake News, mudanças climáticas, religião e genética. A peça é bastante interativa. Tanto o público que irá acompanhar on-line ou presencial pode participar ativamente do espetáculo. “Buscando refletir sobre o nosso futuro aqui, a partir das nossas atitudes do passado e do presente, sobre que tipo de vida e mundo queremos deixar para as próximas gerações”, finaliza João Bosco Amaral.

Compartilhe: