É natal: vinho para celebrar!

Postado em: 23-12-2021 às 09h00
Por: Redação
Pra início de conversa, um bom petisco! Tábua de queijos, pãezinhos e castanhas para receber os convidados é uma boa pedida

Por Edna Gomes

É no natal que a gente se esforça para reunir toda família, colocar presentes debaixo da árvore e arrumar a casa com todos os enfeites natalinos. Além de esperar Papai Noel e abrir aquela garrafa de vinho tão esperada. Afinal, a data importante chegou; Mas, você sabe qual vinho combina com a noite feliz e com os pratos da ceia? São tantos sabores, tantos momentos numa única noite, que não tem quem não fique um tempão pensando nos vinhos certos para esse momento. Pra início de conversa, um bom petisco! Tábua de queijos, pãezinhos e castanhas para receber os convidados é uma boa pedida. Para beber… Espumante! Isso mesmo. Nada mais certeiro do que uma garrafa de um bom espumante Brut para brindar a noite e preparar as papilas gustativas dos convidados para os próximos pratos. Exatamente. O espumante Brut tem esse poder de limpar a boca e preparar o paladar para todos os novos sabores. Hora da sobremesa e daquele Chocotonne que é a receita mais antiga da família. Para acertar na escolha do que beber nesse momento, vale a máxima das regras de harmonização: prato doce, bebida doce. Esta delícia pede o vinho do Porto Ruby Reserva. O Natal é a época mais familiar e rica de afeto.

É a hora de agradecer e de recarregar as energias para o ano que está pra chegar. Desde sempre, o vinho está presente nos momentos de comemoração e, é claro, que não ficaria de fora deste momento tão especial. Nesta época do ano as sensações se intensificam e nossos pensamentos viram um turbilhão. Na verdade, queremos que o sol brilhe, continue brilhando em nossas vidas, dando a luz necessária às boas decisões e proporcionando às videiras, a magia para fazer bons vinhos.

Também somos assim. O sol que nos ilumina, nos enche de novas perspectivas e anseios de um futuro melhor. Esta correlação que se estabelece entre os vinhos e o ser humano, é a “prova viva” do quanto nossas vidas são parecidas, desde o início, do nascimento, o crescimento das videiras e o produto final: os vinhos. Como as pessoas, alguns vinhos “estragam” no caminho, outros se tornam melhores e ainda alguns se destacam pela complexidade que, na minha modesta opinião, nada mais é do que a correlação entre o conhecimento adquirido ao longo dos anos, fixados na garrafa ou no caráter de cada um de nós.

O natal se aproxima, os vinhos aproximam as pessoas, e nesta data tão importante onde desejamos lembrar do nascimento Daquele que foi o amor puro, a forma mais especial que já existiu na terra, saúdo enviando meu presente em pensamento e luz.

O símbolo do sangue que corre em nós, o vinho tão bem representado pela cor, pela complexidade e por caracterizar vida, alimenta, nos faz sorrir, chorar e desejar o que no fundo, todos desejam: a paz e o amor em toda a sua plenitude. Para falar do Natal, não existem segredos, basta olhar para dentro de nós mesmos. No Natal, somos propícios a amar mais, ter mais carinhos, ser mais solidários. É o que nos envolve, este Espírito Natalino. Mas vejamos o mundo num foco mais nítido – isso ocorre somente nesta época do ano. O nascimento de Jesus Cristo tem o poder de causar essa transformação em nós. Época em que surgem milhares de voluntários, pessoas fazendo seus donativos, pessoas se abraçando, trocando calor humano com seus entes queridos. Eu vejo muita gente se engrandecer diante desse espírito, mas eu somente tenho a perguntar: – Por que? Porque essas coisas só ocorrem no mês de Dezembro? Será um mês sagrado? Será que é tão difícil sermos assim o ano inteiro? Todos os dias de nossas vidas, nós devemos amar uns aos outros, respeitar uns aos outros, sermos solidários. O mundo não funciona somente no Natal, as crianças não necessitam de carinho, apenas no Natal, os necessitados, não passam fome, não sentem frio apenas no Natal. Vamos olhar o Mundo e poder ver isso todos os dias. Se Deus me concedesse um desejo, desejaria que nascesse um Jesus Cristo todos os dias.

Brindemos com os vinhos, tão simbólicos e verdadeiros, brindemos à vida, aos nascimentos, ao ser especial que está dentro de cada um de nós, vivo na fagulha da Centelha Divina. Ah, como Deus escreve certo por linhas tortas. O que era para ser “apenas” a celebração do nascimento de Jesus, universalizou-se numa celebração de Fraternidade e Amor.Bem ou mal, o Amor está em toda parte! E se ainda assim você não quiser celebrar esta data, não tem problema: Quero convidar-te a fazer como fosse Natal todos os teus dias! Feliz Natal!

Compartilhe: