Artista goiano, Siron Franco, homenageia vítimas da Covid-19 em exposição artística na Av. Paulista

Postado em: 18-01-2022 às 10h34
Por: Igor Afonso
A mostra é fruto de uma parceria entre a Casa e o Museu da Imagem e do Som - MIS-SP e a entrada é gratuita | Foto: PAULO GUERETA/AGÊNCIA O DIA

O artista goiano, Siron Franco, presta homenagem às vítimas da Covid-19 em uma exposição artística na Avenida Paulista, em São Paulo. A instalação ‘Renascimento’ possui 365 manequins suspensos a seis metros de altura.

“Bem no início da pandemia, tirei um manequim para limpar em meu ateliê de Aparecida de Goiânia e pendurei num varal a alguns metros de altura”, conta o artista. “O número de vítimas da Covid-19 foi aumentando, e surgiu a ideia dessa instalação para criticar o negacionismo de pessoas avessas à vacinação”.

Segundo o goiano, a instalação sugere a imagem de uma população que “flutua”, projetando sombras conforme a incidência do sol. O nome da instalação, de início, seria “Ressureição”, em referência ao episódio bíblico do Novo Testamento, mas em comum com os organizadores da mostra, Siron concordou com a troca do título.

Franco explica que considera Renascimento como uma “pintura flutuante”, em que os personagens encapuzados “interrogam” o espectador e o número de manequins corresponde a cada dia do ano. Os bonecos representam, segundo ele, “Os que se foram, bradando pela união das pessoas”. O autor acredita que a solidariedade cresceu durante o período pandêmico, mas ainda é insuficiente. 

A mostra é fruto de uma parceria entre a Casa e o Museu da Imagem e do Som – MIS-SP e a entrada é gratuita.

Compartilhe: