Cantor goiano Pedro Scalon apresenta seu novo álbum, intitulado “A Legenda do Tempo”

Pedro Scalon iniciou os estudos musicais ainda aos sete anos de idade

Postado em: 23-09-2022 às 08h43
Por: Lanna Oliveira
Pedro também é conhecido por se dedicar a tributos a dois artistas épicos, Cássia Eller e Cazuza | Foto: Reprodução

Após dois anos de reclusão, o cantor Pedro Scalon lança mais um projeto, resultado de suas impressões sobre tudo que viveu na pandemia. O álbum ‘A Legenda do Tempo’ apresenta letras que retratam os problemas de ansiedade, depressão, ideologia da juventude e problemas sociais, além de tocar em pontos afetivos do ser humano. As músicas foram lançadas no Spotify, Instagram e no YouTube, com clipes Lyric Videos. O artista, que iniciou os estudos musicais ainda criança, volta as suas origens com o novo trabalho.

Intitulado ‘A Legenda do Tempo’, o novo álbum do cantor e compositor goiano Pedro Scalon contém doze músicas que reúnem sentimentos e pensamentos sobre assuntos pertinentes. Dentre elas, oito autorais, três de outros compositores e uma versão acústica. Nove já foram lançadas, inclusive a regravação de ‘Pra Sempre’, do CD ‘Nas Margens do Tempo’. E ainda ‘A Voz da Tela’, de Oswaldo Montenegro, ‘Amanhã Colorido’, de Duca Leindecker e ‘Por Quem os Sinos Dobram’, de Raul Seixas. 

O álbum ainda conta com a participação de Maurício Lavenère, na bateria Paula Bernardes, produção de Geovani Maia e Sandra Esther e muito mais. Pedro Scalon não abriu mão de estar envolvido em todos os processos de concretização do ‘A Legenda do Tempo’. “Nós ficamos praticamente dois anos isolados produzindo esse álbum, fazendo toda a linguagem de estética, refletindo bastante no que queria dizer e reformular artisticamente. Precisava mudar o rumo da minha carreira, ser mais visceral e voltar com o Rock ‘n’ Roll que me acompanha desde a infância”, afirma Pedro Scalon.

Continua após a publicidade

A ligação com o mundo da música

Filho da pianista Viviane Vilela, e neto do compositor e músico Henrique Duarte Netto, o goiano Pedro Scalon, sempre teve a música como um dos principais pilares de sua vida e iniciou os estudos musicais ainda aos sete anos de idade. Inicialmente estudou piano em casa, mais tarde passando para o violão e guitarra. Aos 15, já como músico profissional, formou várias bandas, se apresentando em shoppings, festas, bares e eventos. Sempre influenciado por várias bandas consagradas do rock e pop internacional, com repertório envolvendo além do rock, MPB, blues e jazz, com 16 anos, Pedro começou a estudar canto. 

Ao longo dos anos foi desenvolvendo vários projetos musicais e tributos a bandas como Beatles, Queen, John Mayer, Gary Moore e Bon Jovi. Logo começou a atuar como professor de guitarra, violão, piano e canto, tendo trabalhado em conservatórios renomados em todo país. Em seu currículo constam vários cursos de formação, como o na Berklee College of Music em Boston, nos Estados Unidos, com professores como Mozart Mello, Edu Ardanuy, André Matos, Lanny Gordin, Michel Lemme, Rafael Bittencurt entre outros.

Em 2013 o músico lançou o disco ‘Nas Margens do Tempo’, que teve produção de Wellerson Cássio. O material trouxe nove faixas de sua autoria, incluindo ‘Sete Noites no Deserto’, que lhe rendeu o prêmio de melhor compositor no Festival dos Violeiros, em Goiânia, além de duas regravações. Já com o Vídeo Clipe da música ‘Totens’, também de sua autoria, foi finalista do concurso ‘Garagem do Faustão’, promovido, em outubro de 2012, pelo programa do ‘Domingão do Faustão’, da Rede Globo.

Pedro também é conhecido por se dedicar a tributos a dois artistas épicos, Cássia Eller e Cazuza. Este último lhe rendeu muitos elogios, não só de crítica e público como também os cumprimentos de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, que chegou a publicar, no site oficial do filho, uma matéria falando sobre o trabalho de Pedro e tecendo elogios ao show, além de presenteá-lo com a réplica da bandana que Cazuza usava, tradicionalmente, em seus shows.

Veja Também