Concerto da Filarmônica terá regência de Isaac Karabtchevsky

O músico é, desde 2011, diretor artístico do Instituto Baccarelli e regente titular da Orquestra Sinfônica Heliópolis, tendo sido um dos grandes responsáveis pelo salto qualitativo dessa orquestra

Postado em: 19-04-2018 às 10h00
Por: Márcio Souza
O músico é, desde 2011, diretor artístico do Instituto Baccarelli e regente titular da Orquestra Sinfônica Heliópolis, tendo sido um dos grandes responsáveis pelo salto qualitativo dessa orquestra

A Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG) recebe em seu próximo
concerto o maestro convidado Isaac Karabtchevsky, considerado pelo jornal
inglês The Guardian, em 2009, como um dos ícones vivos do País. O espetáculo,
que traz a participação do músico, será na sexta-feira (20), às 20h30, no
Centro Convenções PUC, em Goiânia. A entrada é gratuita.

O programa do concerto traz a Sinfonia n.2, de Gustav
Mahler, conhecida como Ressurreição. Para interpretar a obra, foram convidados
a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, o Coro Sinfônico Jovem de Goiás e o Coro
Sinfônico de Goiânia. A soprano Camila Titinger e a mezzo-soprano Ana Lucia
Benedetti também participarão da execução da obra.

Continua após a publicidade

A Ressureição, de Mahler explora novas sonoridades,
extraindo de cada instrumento notas expressivas. O clássico é o primeiro do
compositor a usar voz humana. Logo após a apresentação da Sinfonia n.2, será
executada a obra Piedade: Suíte Sinfônica, do brasileiro João Guilherme Ripper.

Maestro

Isaac Karabtchevsky é, desde 2011, diretor artístico do
Instituto Baccarelli e regente titular da Orquestra Sinfônica Heliópolis, tendo
sido um dos grandes responsáveis pelo salto qualitativo dessa orquestra.
Nascido em São Paulo, estudou regência e composição na Alemanha, sob orientação
de Wolfgang Fortner, Pierre Boulez e Carl Ueter.

Atuou como regente titular e diretor artístico em prestigiadas
orquestras e teatros internacionais, como a Petrobras Sinfônica do Rio de
Janeiro (desde 2004); Sinfônica de Porto Alegre (2003 a 2010); Orchestre
National des Pays de la Loire, na França (2004 e 2009); Orquestra Tonkünstler,
de Viena (1988 a 1994); Teatro la Fenice, em Veneza (1995 a 2001); Orquestra
Sinfônica Brasileira (1969 a 1996).

 

Veja Também