Terceiro idioma ganha cada vez mais destaque no mercado

Segundo especialista, o inglês e o espanhol ainda são as línguas mais faladas, mas ainda assim são consideradas diferenciais, uma vez que a fluência ainda precisa ser desenvolvida

Postado em: 21-04-2018 às 14h25
Por: Márcio Souza
Segundo especialista, o inglês e o espanhol ainda são as línguas mais faladas, mas ainda assim são consideradas diferenciais, uma vez que a fluência ainda precisa ser desenvolvida

Há anos, a fluência em inglês é um requisito importante para
muitas vagas de emprego. “O mundo está cada vez mais interligado e sem
fronteiras, devido ao avanço da tecnologia. Seguindo está linha, o inglês é o
idioma mais falado no mundo e sem dúvidas é o mais exigido em empresas com
grande visibilidade internacional”, explica Rodrigo Vianna, CEO da Mappit –
empresa do Grupo Talenses especializada no recrutamento de profissionais em
início de carreira. No entanto, ele ressalta que em alguma situação especifica
o interlocutor pode se sentir mais à vontade em conversar em outro idioma. Por
isso, as empresas também têm valorizado cada vez mais o conhecimento em outras
línguas.

O especialista afirma que os três idiomas mais pedidos pelas
empresas depois do inglês são: espanhol, francês e alemão. Mas, de acordo com
dados de uma pesquisa realizada pela Talenses em 2017 com 1800 profissionais,
apenas 13% dos respondentes falam um terceiro idioma. Os três principais, além
do inglês, são: espanhol, francês e alemão.

Continua após a publicidade

O inglês e o espanhol ainda são as línguas mais faladas, mas
ainda assim são consideradas diferenciais, uma vez que a fluência ainda precisa
ser desenvolvida. “O nível de educação para novos idiomas no Brasil já evoluiu
nos últimos anos, mas ainda encontramos no mercado muitos profissionais que não
dominam nem o inglês, e ainda menos um terceiro idioma” avalia Vianna.

Impacto na carreira

A falta de habilidade em falar outro idioma pode prejudicar
o desenvolvimento da carreira. O especialista explica que há muitas vagas em
diferentes níveis hierárquicos – de analistas a diretores – que exigem
rigorosamente inglês fluente. “E, hoje, dependendo do caso há oportunidades que
também requerem um terceiro idioma”, afirma.

Portanto, o inglês deve ser sempre o primeiro idioma a ser
falado com maior naturalidade. Mas, de qualquer forma, investir no terceiro
idioma com certeza é uma maneira eficaz de ser um profissional cada dia mais
valorizado no mercado de trabalho. “Falar um terceiro idioma pode ser decisivo
quando a empresa precisa escolher um profissional que a represente em alguma
situação que envolva países que falem o idioma em questão, ou até quando a
companhia precisa expatriar um funcionário. E vivências como essas são
excelentes para o amadurecimento profissional”, finaliza.

Veja Também