Exposição de produções iconográficas é aberta hoje

Artistas Nonatto Coelho, Bené Silveira, Dijódio e Dipaiva expõem seus trabalhos

Postado em: 03-05-2018 às 06h00
Por: Sheyla Sousa
Artistas Nonatto Coelho, Bené Silveira, Dijódio e Dipaiva expõem seus trabalhos

SABRINA MOURA*

Continua após a publicidade

Começa nesta quinta-feira (3) a exposição 4 Ateliês dos artistas Nonatto Coelho, Bené Silveira, Dijódio e Dipaiva. Pinturas e objetos de cada artista são expressos em estilos e conteúdos temáticos independentes que, apesar da diversidade, compartilham de um ambiente comum, pois moram e trabalham na cidade de Inhumas – a aproximadamente 50km de Goiânia. “A exposição surgiu, porque já temos trabalhos muito maduros, muitos anos de experiência, e já faz um tempo que não mostramos nossos trabalhos reunidos. Temos uma afinidade não só de amizade, mas também de trabalho. O Dipaiva e o Dijódio não estão sempre produzindo, sempre com a consciência do que são e com uma técnica muito bem segmentada”, comenta Nonatto Coelho. 

Os artistas reúnem parte das suas produções iconográficas e as dirigem para essa mostra que permite uma leitura particular da poética de cada um deles. “A arte é linguagem; ela possui uma linguagem própria. Nos nossos trabalhos, eu creio que não seja diferente; cada qual se expressa com aquela consciência em ter algo a dizer”, conta Nonatto.

Artistas

Bené Silveira é um dos menos experientes quando se fala de tempo de trabalho. O artista surpreende o espectador de sua obra, que se depara com um trabalho elaborado em uma técnica do acrílico sobre tela, ou sobre papel, plasmada em uma temática rica em detalhes que, ora podem ser abstratos, ora figurativos, vibrantes de cores fortes, bem distribuídos na superfície do suporte.

Dijódio (Divino José Custodio) é dotado de uma sensibilidade e polivalência técnica: pinta, esculpe, pratica a assemblagem (prática que possui colagens com objetos e materiais tridimensionais). Para a exposição, ele leva 15 trabalhos em uma série de documentos fotográficos com registros de esculturas erigidas com pedras no pátio da Companhia Centroálcool da cidade de Inhumas. 

São trabalhos do gênero ‘land art’. Ele também exibe três fotografias que homenageiam a história da arte, como O Pensador, do escultor francês Auguste Rodin, A Banhista de Valpinçon, do Francês Jean-Auguste Dominique Ingres, e o Davi, do escultor italiano renascentista Michelangelo. “O meu trabalho é em homenagem aos grandes mestres da arte. Apresento obras e esculturas em homenagem a eles. As obras são relatadas aos gêneros pelos quais  temos grandes afirmação. Sempre estamos fazendo uma interpretação do passado para fazer o novo”, comenta Dijódio. “Fazemos estudos em cima das suas obras, observando e admirando a expressão dos grandes mestres”, completa.

Dipaiva (José Geraldo De Paiva), iniciou a pintura em 1979: um pintor intuitivo, dotado de uma forte personalidade e apaixonado pelo ofício. Ele apresenta, na mostra, oito peças, sendo três do ano de 1998, e cinco pinturas datadas desde 1983 até 2017 . Todas elas são obras de coleção particular. “Sua coleção apresenta uma acentuada conotação museológica, onde o sobrenatural e o sentimento de finitude das coisas impregna a atmosfera sombria e mística de sua obra”, opina Nonatto.

A série Hibrido-Anfíbio teve início em 2012.Nonatto apresenta 11 trabalhos em acrílico sobre tela em pequenos formatos da sua coleção que ainda não foram apresentados ao público. “A figura dos sapos é constante no meu trabalho. Desde o início da minha carreira, eles representam a vida, o ecossistema e a nossa fragilidade. Eu uso o sapo como um elemento para falar do todo”, conta o artista. “Essa série, que durou dez anos, mostra a relação entre sapos e humanos, sempre ligado a figura humana ao sapo, tendo como sua figura ecológica em primeiro plano”, finaliza Nonatto.

*Integrante do programa de 

estágio do jornal O HOJE sob orientação da editora Flávia Popov

SERVIÇO

Exposição ‘4 Ateliês’

Quando: de 3 de maio a 4 de junho de 2018

Onde: Galeria Sebastião dos Reis (R. 4 nº 515, sobreloja do Edifício Parthenon Center, Centro Cultural Octo Marques, Centro – Goiânia)

Horário: 20h

Informações: (62) 3201-4687 e 3201-4695

Entrada gratuita

Veja Também