Comprar celular no exterior sai mais barato mesmo com impostos

Alíquota de 6,38% é calculada sobre o valor do produto se a compra for feito com cartão de crédito. Com a moeda estrangeira, porcentagem vai para 0,38%

Postado em: 03-05-2018 às 15h50
Por: Victor Pimenta
Alíquota de 6,38% é calculada sobre o valor do produto se a compra for feito com cartão de crédito. Com a moeda estrangeira, porcentagem vai para 0,38%

Uma pesquisa da plataforma Cuponation aferiu que ainda é
possível economizar na compra de celulares de última geração no exterior ainda
que o dólar esteja instável e o Brasil possua uma alta carga tributária. Em
relação às compras com cartão de crédito, a alíquota de 6,38% é calculada sobre
o valor do produto. Caso o consumidor escolha pagar com a moeda estrangeira, a
porcentagem cai para 0,38%.

A empresa realizou um levantamento dos preços dos celulares
de última geração das seis principais marcas de tecnologia em cinco grandes e-commerces no Brasil, comparado com os
preços do e-commerce mais popular dos
EUA. Em ambos os casos de pagamento, os preços no Brasil ficam mais altos que
os do exterior na maioria dos casos.

Continua após a publicidade

A média de preços do iPhone X, por exemplo, com 256GB de
memória nas lojas online do Brasil é de R$ 6.453. Se o consumidor optar por
comprar o mesmo aparelho nos EUA com o cartão de crédito, desembolsará
aproximadamente R$ 4.515, e se quiser pagar o preço em dinheiro, R$ 4.261, o
que mostra que o brasileiro paga, aproximadamente, 51% a mais pelo mesmo
produto.

Dentre os modelos de iPhone pesquisados, o que vale a pena
comprar no Brasil é o iPhone 7 Plus de 128GB, com preço médio nas lojas
virtuais brasileiras de R$ 3.364, contra R$ 3.462 adquirido por cartão de
crédito.

De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel),
o Brasil registrou, em Fevereiro de 2018, um total de 235,7 milhões de celulares,
o que representa pouco mais de um celular por habitante. No ranking dos
estados, São Paulo ganha em disparada na quantidade de dispositivos,
contabilizando 62,3 milhões, seguido de Minas Gerais (22,5 milhões), Rio de
Janeiro (21 milhões) e Bahia (14,4 milhões).

No infográfico abaixo você confere os valores de outras
marcas aqui no Brasil e nos EUA. Também é possível conferir clicando neste link.

Veja Também