Celg ganha uma posição em ranking da Aneel

Postado em: 22-03-2016 às 06h00
Por: Sheyla Sousa

ACompanhia Energética de Goiás (Celg-D) ganhou uma posição no ranking nacional das concessionárias de distribuição de energia elétrica do país em relação à qualidade do serviço prestado em 2015, divulgou ontem a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O ranking avaliou todas as concessionárias do país para o período de janeiro a dezembro de 2015 e é dividido em dois grupos, de acordo com o porte da empresa. Em 2012, a Celg era a segunda pior, e em 2011, havia subido para a 28ª posição.

São 36 concessionárias de distribuição consideradas de grande porte, com o mercado faturado anual de energia maior que 1 TWh (terawatt hora), e 26 concessionárias consideradas de menor porte, com o mercado faturado anual menor ou igual a 1 TWh.

No mercado maior, as melhores colocadas foram a Companhia Energética do Maranhão (Cemar), seguida da Energisa Paraíba (EPB) e da Companhia Luz e Força Santa Cruz (CPFL Santa Cruz – SP). As distribuidoras que mais evoluíram foram a Centrais Elétricas do Pará (Celpa) e a Amazonas Distribuidora de Energia (AmE), ambas com avanço de 11 posições em comparação ao ano de 2014. As últimas classificadas são a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), em 36º; a Companhia Energética de Goiás (Celg-D) (35º); e a Eletropaulo Metropolitana Eletricidade de São Paulo (34º). A Eletropaulo foi a concessionária que mais perdeu posições em relação ao ano passado. A apuração indica que a distribuidora paulista caiu 20 posições.

A Celg-D colocou o primeiro lote do Novo Modelo de Contratação das equipes leves de atendimento em fevereiro. O objetivo, segundo a estatal, é agregar valor ao cliente, pela redução dos prazos de atendimento dos serviços comerciais, tais como a ligação ou a religação de uma Unidade Consumidora ou o restabelecimento do fornecimento de energia em caso de sua interrupção, aumentando a qualidade.

Também foram lançados os Centros de Serviços da Contratada (CSC), para controle dos serviços comerciais e emergenciais da baixa tensão”, explica o superintendente de Serviços Thiago Nunes. Esses Centros ficarão distribuídos em 20 cidades-polos da área de concessão da CELG D, propiciando maior agilidade aos despachos e controle dos serviços do ponto de vista operacional ,embora estejam hierarquicamente subordinados ao Centro de Operação da Distribuição, irão reduzir em 60% o volume de serviços emergenciais que recaem sobre o COD. 

Compartilhe: