Reajustes em parcelas de lotes têm assustado consumidores em Goiás

O órgão esclarece que nos casos de desistência do imóvel, infelizmente boa parte do valor pago ficará com a empresa a título de multa por quebra de contrato.

Postado em: 19-05-2021 às 11h11
Por: Nielton Soares
Com dúvidas nos cálculos, clientes têm procurado o Procon Estadual para verificar correções monetárias e contrato | Foto: reprodução

O Procon Goiás alerta para o reajuste nas parcelas no financiamento de lotes durante os últimos 12 meses. No período, de maio do ano passado e abril deste ano, o órgão constatou o aumento acumulado de 32,03%.

Nesses contratos de financiamentos o principal índice de correção é o Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM). Além de correção monetária, são inseridos na composição do reajuste, juros remuneratórios de até 1% ao mês.

Porém, preocupados com as altas, os compradores têm procurado o Procon para averiguar esses cálculos apresentados pelas empresas. O órgão informou que já foram realizados 379 recálculos, uma média de quase 100 por mês.

Continua após a publicidade

Impacto

O Procon atestou que está havendo um impacto desses financiamentos no orçamento familiar. “Pegamos como exemplo concreto de um contrato assinado em abril de 2016, cujo valor da parcela àquela época era de R$ 485,00, parcelado em 120 vezes, com primeiro vencimento em 19/05/2016. De lá pra cá – considerando a correção pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) mais os juros remuneratórios de 1% ao mês – o valor a ser pago agora neste mês de maio (2021) será de R$ 1.419,98”, informou. Nesse caso, a elevação somente nos últimos cinco anos foi de 192,77% de elevação, ou seja, 3 vezes o valor inicial.

Orientações

Os analisas orientam que os consumidores que pretendem adquirir esse tipo de imóvel deve analisar com muito cuidado o contrato, principalmente as cláusulas que estabeleçam as formas de correção e principalmente, fazer uma simulação da evolução das parcelas.

O órgão esclarece que nos casos de desistência do imóvel, infelizmente boa parte do valor pago ficará com a empresa a título de multa por quebra de contrato.

Os consumidores que estiverem na mesma situação poderão solicitar o cálculo junto ao Procon, pedindo uma reavaliação dos reajustes aplicados e se estão em conformidade com o contrato.

O atendimento pode ser feito presencialmente, por meio de agendamento pelo Procon Web (proconweb.ssp.go.gov.br), ou solicitado por meio da mesma plataforma.

Veja Também