Modismos passageiros, os anos 90 estão de volta

Postado em: 17-06-2021 às 08h11
Por: Victoria Lacerda
Um revival dos anos 1990 na moda como um todo | Foto: Reprodução

Tendências vêm e vão e, dessa vez, as que marcam presença foram baseadas na moda dos anos 90. Nessa década, o conceito urbanístico estava totalmente em alta, não é à toa que foi nessa época que o street style ganhou notoriedade e passou a fazer parte do dia a dia da maioria das pessoas. Desde roupas até acessórios, as peças estão bem mais visíveis entre as tendências, e algumas até de uma forma bem repaginada, mas sem perder a essência daquela década icônica.

Nos anos 90, era comum notar elementos fortes, como cores chocantes, estampas, cortes inusitados, maiores medidas, cintura alta e muitos acessórios. Atualmente, muitas dessas tendências voltaram a estar presentes em diversas vitrines e guarda-roupas, trazendo junto o clima nostálgico do fim do século XX.

Uma das maiores tendências entre os acessórios nos últimos anos, com certeza, foram as peças feitas com miçangas. Apesar de ser um material que nunca saiu completamente das ruas, o que chama a atenção agora é o visual muito parecido com o dos anos 1990, quando as bijoux feitas com elas eram usadas com a proposta de compor visuais mais animados e divertidos.

Miçangas, elas voltaram!

Depois do  lançamento do clipe “Golden”, de Harry Styles, as miçangas ficaram ainda mais em alta. Os dois colares de miçanga usados pelo cantor deram o que falar e logo diversas marcas de acessórios começaram a replicar as peças. Manu Gavassi e Duda Beat são outras referências de estilo que não tiram seus colares de contas coloridas do pescoço.

O que não falta atualmente são lojas virtuais com foco total em miçangas. Fora as marcas mais antigas que também estão apostando na tendência, parece que a quarentena fez muitas pessoas decidirem explorar seu lado artesão e empreendedor e lançarem suas próprias marcas de acessórios apostando nessa mistura riquíssima do artesanato com a diversão que as contas coloridas trazem. Logo, são muitas as opções para quem quer se jogar nessa tendência.

Diretamente de Goiânia e fundada por duas irmãs, Maria Vitória e Bruna tiveram que se reinventar na pandemia e deram uma repaginada no Artes da Mavi, lançando alguns modelos de acessórios feitos com miçangas. As duas começaram apenas com 5 modelos diferentes, hoje o vasto catálogo está disponível no instagram @artesdamavi, elas vendem desde colares, pulseiras e até acessórios para celular.

“Quando fundamos o artes da mavi a intenção era fazer apenas arquinhos e alguns acessórios para festas universitárias, vendemos muito no carnaval de 2019 e 2020,  porém a pandemia nos impediu de continuar com essa ideia. Para não ficarmos paradas e como nós já tínhamos um público no instagram, resolvemos começar a fazer os acessórios com o dilema de levar mais cor a vida das pessoas, mostrando sempre felicidade”, contou Maria Vitória.

A proposta das miçangas também revive o passado hippie, quando a bijoux era um sucesso absoluto. “Minha irmã ama moda e eu sempre amei os produtos artesanais, acredito que eles carregam uma história e por isso o nosso lema é: levar mais cor a vida das pessoas, mostrando sempre felicidade”, completou.

Hippies, praia… essas são as primeiras coisas que vêm à cabeça quando falamos em colares, pulseiras e brincos feitos com miçangas, sempre todos coloridos. Elas nunca desapareceram das vendas de rua dos artistas e das feiras de artesanato em geral. Mas a sua origem é bem antiga.

Aqui no Brasil, as miçangas chegaram no século XVI pelas mãos de grupos franceses que comercializavam com os índios Tupinambá da costa brasileira. Logo, diversas tribos se apropriaram das miçangas em suas culturas e começaram a criar seus próprios costumes e mitos em torno delas. O mesmo aconteceu em outras regiões do mundo, o que contribuiu para que essas contas se tornassem um material extremamente versátil e diverso.

Naquele período, as miçangas eram utilizadas na produção de acessórios usados por quem não podia arcar com joias feitas com materiais mais nobres, como pedras preciosas. Sua durabilidade, seu brilho e sua diversidade de cores, tamanho e formas sempre foram seus maiores atrativos, assim como a sua versatilidade para criar os mais variados ornamentos.

Fitas de elástico e miçangas sortidas são o suficiente para fabricar peças incríveis e alegres.

Compartilhe: