Live commerce é nova aposta de empresários

Postado em: 24-06-2021 às 08h49
Por: Nielton Soares
Febre na China, a novidade começou a agradar empresas e consumidores brasileiros no fim do ano passado | Foto: Reprodução

A live commerce, ou “comércio ao vivo”, está sendo uma estratégia que usa da interação proporcionada pelo streaming de lives no intuito de alavancar as vendas de muitas empresas. A técnica consiste em o vendedor promover produtos, serviços e todo o ecossistema de e-commerce durante as lives. Essa novidade já é febre na China e no Brasil a tendência começou a ganhar espaço no ano passado, intensificando neste ano.

O grande trunfo da live commerce, levando em consideração o crescimento de acessos e vendas pelas redes sociais, aceleradas pela pandemia da Covid-19, é proporcionar a interação durante a transmissão ao vivo, no qual os vendedores bem treinados, influenciadores ou blogueiros criam grande expectativas sobre os produtos, os chamados gatilhos mentais, como da escassez e urgência, para gerar engajamento e resultar em vendas.

Grandes marcas ligadas ao mundo da moda e beleza, como Givenchy Beauty, Lofty Style, Blue Bird Shoes, Martha Medeiros e L’Occitane estão apostando nessa novidade e garantem que estão ganhando mais clientes, aumentando as vendas e fortalecendo as marcas perante ao público que tem optado por transmissões ao vivo, interação por chat e facilidade nas compras, que podem encher o carrinho de produtos, tudo isso na mesma tela e em tempo real. isso tem feito do ato de comprar, um entretenimento.

“O consumidor assiste o conteúdo, vê a demonstração dos produtos na prática e ainda pode fazer a compra e pagamento deles ali mesmo, sem precisar sair da live”, destaca a especialista no assunto e CEO da Mimo Live Sales, Monique Lima. A empresa é a primeira plataforma de live commerce a operar na América Latina.

Além das vendas, segundo a especialista, as empresas têm utilizado essa nova ferramenta para lançar as novas coleções e promover promoções de alguma linha específica de produtos. Ele cita que um dos pontos altos da plataforma é a oportunidade de interação em tempo real com os clientes por meio do chat que fica disponível durante a live para a troca de informações, dúvidas, feedbacks e até mesmo pedidos de demonstração dos produtos. Tudo podendo ser feito na própria plataforma.

A diretora da Givenchy Beauty, Marjorie Pilli, comenta que a empresa tem investido nessa nova tendência e vem obtendo bons resultados. Recentemente, a Givenchy Beauty realizou uma live shop, em parceria com a Época Cosméticos, na qual apresentou tutoriais de seus produtos de make e cuidados com a pele e contou com a presença do maquiador internacional Aguinaldo Leandro. “Seguindo este perfil, estamos apostando em novos formatos digitais que proporcionam uma forma interativa e divertida de vendas, com o propósito de encantar o consumidor”, revela. 

Em tempo real

O constante fechamento do comércio físico, por causa da pandemia da Covid-19, por exemplo, fez com que a marca de vestuário Lofty Style se visse às voltas de tentar encontrar um novo caminho para levar não perde vendas e também clientes. E uma das alternativas, além do já conhecido e-commerce, a solução encontrada pela marca foi a live commerce, que teve início nas páginas do YouTube e Instagram da empresa.

De acordo com a CEO da Lofty, Camila Ortiz, a empresa realizou uma pesquisa mais a fundo sobre o modelo de live commerce. E há pouco mais de 10 dias, realizou a primeira live fora das redes sociais, lançando uma nova coleção de roupas da marca. A transmissão ao vivo contou com a presença da própria CEO, apresentando a live, e da influenciadora Camila Gaio, parceira da Lofty.

Para permitir que os consumidores visualizassem a roupa em um corpo de uma mulher real, na live estavam duas modelos que tinham um biotipo diferente, que vestiam P e G. Ao todo, a marca apresentou cerca de 17 looks, que, na mesma hora, estavam disponíveis para a compra imediata. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: