Goiás sobe três posições e fica em sétimo lugar no ranking dos Estados mais digitalizados do Brasil

Postado em: 04-07-2021 às 14h58
Por: Redação
Índice evidencia esforços concentrados no último ano para criação do Expresso Goiás, plataforma centralizada que oferece acesso a diversos serviços públicos. “Goiás deixa era analógica para trás”, afirma governador Ronaldo Caiado. Foto: Reprodução

Goiás passou a ocupar a sétima posição do ranking dos Estados com maior oferta de serviços públicos digitais, segundo o índice mapeado pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia de Informação e Comunicação (Abep-Tic). O resultado foi divulgado, na sexta-feira (02/07), durante solenidade com participação virtual do secretário-chefe da Governadoria (SGG), Adriano da Rocha Lima, em ato representando o governador Ronaldo Caiado. O índice mostra um salto de três posições, estando à frente de estados como Rio de Janeiro e São Paulo.

O resultado destaca os esforços empreendidos no último ano para a implantação de mecanismos que permitiram a maior oferta de serviços digitais, e que resultaram no lançamento, em maio deste ano, da plataforma Expresso Goiás. Na ocasião, o governador Ronaldo Caiado declarou que “deixamos a era analógica para trás”. Segundo ele, “esse é o perfil do nosso governo, a digitalização, o menor tempo de ação e a melhora da qualidade de vida das pessoas”.

Desde o início da atual gestão, em 2019, Caiado coordena o trabalho de modernização da máquina pública, que permitiu conquistar avanços como esse, explica o titular da SGG, Adriano da Rocha Lima. “Se você levar em consideração que, em 2019, Goiás nem era reconhecido como um Estado que tinha digitalização de seus serviços, estando entre os dez piores, conseguirmos chegar à sétima posição em apenas dois anos é uma evolução muito grande, porque você é comparado com outros estados que seguem avançando também”, disse.

Coordenada pela SGG, em parceria com as secretarias de Administração; de Desenvolvimento e Inovação e Casa Civil, a plataforma congregou em um portal único o acesso a diversos serviços públicos, modernizando e agilizando o atendimento ao cidadão goiano.

Adriano avalia que as ações adotadas para permitir esse avanço, como o estabelecimento de processos, monitoramento constante, execução de cronogramas e principalmente o envolvimento das equipes, permite que mais serviços sejam incorporados à plataforma Expresso constantemente. “Caminhamos para figurar entre os três primeiros do ranking. E vamos avançar e manter a integração com a plataforma gov.br, para permitir acesso a serviços federais e estaduais em um acesso único. A tecnologia tem que facilitar a vida do cidadão”, avalia.

O secretário de Desenvolvimento e Inovação (Sedi), Marcio Cesar Pereira, e o subsecretário de Tecnologia da Informação (STI), Rodrigo Michel de Moraes, representaram o Estado presencialmente no evento. “É um ranking de grande importância, pois é uma competição entre Estados para ver quem mais entrega serviços digitais para a população”, explica Marcio Cesar Pereira. “A missão da TI do Estado é a de levar o máximo de serviços digitais para o cidadão, de modo que ele não precise se deslocar a uma unidade física para realizar um procedimento”, emenda Rodrigo Michel.

Este é o segundo ano consecutivo que a ABEP-TIC promove o levantamento de dados junto aos Estados e Distrito Federal para a elaboração do índice, tendo como principal objetivo compor, por meio de indicadores, o desenho da eficiência da máquina pública brasileira.

A associação tem como apoiadores a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que contribuíram na definição da metodologia e na compilação dos dados originados das pesquisas realizadas.

Por meio do envio de um questionário direcionado aos governadores das 27 unidades federativas e posterior conferência dos dados relatados, a comissão avaliadora formata o índice, com base na análise comparativa de três dimensões: a capacidade para oferta digital de serviços; a oferta de serviços digitais e a regulamentação para a oferta de serviços.

Análise da pesquisa
O primeiro aspecto avaliado é a capacidade para oferta digital de serviços, que leva em consideração se o Estado disponibiliza um sítio eletrônico oficial para disponibilização de informações institucionais; agendamento e oferta de serviços; se é disponibilizada uma ferramenta de avaliação da satisfação dos usuários, entre detalhes dessa natureza. Em 2020, a pontuação de Goiás nessa categoria o colocou em 11 lugar. Este ano, passou para o sexto, subindo cinco posições na avaliação deste critério específico.

O segundo aspecto avaliado trata sobre os serviços digitais ofertados, analisando a disponibilidade prioritariamente nas áreas de educação, saúde, segurança pública e economia. Neste sentido, são verificadas a oferta de emissão online de segunda via de documentos como carteira de habilitação, identidade; emissão de boletim de ocorrência; nota fiscal eletrônica, entre outros.

E o terceiro e último item avaliado diz respeito à regulamentação por meio de instrumentos legais como Leis e Decretos para a instituição do portal único de serviço, entre outros mecanismos necessários para a instauração do governo digital. Neste critério, Goiás passou da oitava para a quarta colocação, subindo quatro posições.

A somatória das três categorias resultou na sua consolidação na sétima colocação, posição essa compartilhada com o estado da Paraíba. Figuraram nos primeiros lugares Rio Grande do Sul, Bahia e Paraná, respectivamente.

Plataforma Expresso Goiás
Lançado no dia 17 de maio deste ano, a plataforma Expresso foi desenvolvida para concentrar os serviços digitais disponíveis pelo poder público estadual. Para adaptar aos diferentes perfis de acesso do cidadão, ela foi idealizada para ser consultada de três diferentes maneiras: site, aplicativo e totem.

Ao completar seu primeiro mês de atividade, a plataforma já contabilizava 100 mil acessos no site e 90 mil logins de usuários cadastrados no portal. Nas lojas de aplicativos, os downloads já são superiores a 14 mil. Atualmente, o Expresso conta com a oferta de 82 serviços digitais, número esse que vem sendo ampliado à medida que demais processos passam a ser incorporados ao sistema. Até o final do ano, a estimativa é chegar a mais de 200 serviços 100% digitais.

Compartilhe: