Black Friday: 57% dos brasileiros pretendem fazer compras nesta sexta (26)

Pesquisa da CNDL/SPC Brasil revela como os consumidores se sentem sobre as promoções típicas do mês de novembro.

Postado em: 26-11-2021 às 11h33
Por: Giovana Andrade
Pesquisa da CNDL/SPC Brasil revela como os consumidores se sentem sobre as promoções típicas do mês de novembro. | Foto: Reprodução/Internet

Apesar de ser uma tradição importada dos Estados Unidos, a Black Friday já faz parte do calendário de compras dos brasileiros, que a cada ano se tornam mais habituados a se programar para aproveitar as melhores ofertas. Este ano, a data deve mais uma vez movimentar o comércio. 

De acordo com pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), 57% dos consumidores pretendem fazer compras na Black Friday. 

Segundo o levantamento, 70% dos consumidores acham que é uma boa hora para comprar coisas que precisam a um preço mais baixo, enquanto 38% pretendem aproveitar o preço para antecipar as compras de Natal. O número de pessoas que querem aproveitar as promoções mesmo que não estejam precisando de nada no momento é menor (19%), mas ainda significativo. 

Continua após a publicidade

Em contrapartida, 29% dos consumidores só pretendem adquirir algum produto se as ofertas realmente valerem a pena. Somente 14% não pretendem participar, principalmente porque estão sem dinheiro (29%), estão desempregados (21%) ou porque acreditam que o momento econômico não é favorável (18%).

A pesquisa aponta que a população está atenta às promoções, uma vez que 88% afirmam que pretendem fazer pesquisa de preço antes de comprar na Black Friday, sendo os principais motivos: confirmar se os preços estão realmente na promoção (55%) e escolher as lojas com os melhores preços (33%).

Os principais locais de pesquisa de preços são sites das lojas que costumam comprar (55%), sites/aplicativos de comparação de preços (52%) e sites de busca (43%). Em média, os consumidores esperam encontrar descontos de 42% nos produtos ofertados, adquirir 3 produtos, e gastar em torno de R$ 1.118 com as compras durante a promoção.

Entre os consumidores que pretendem comprar na Black Friday, 75% dizem que estão evitando algum tipo de compra em outubro ou novembro para poder aproveitar a data. Os produtos mais desejados pelos consumidores são roupas (38%), calçados (29%), eletrodomésticos (27%), celulares/smartphones (24%), e artigos para casa (24%).

Segundo o presidente da CNDL, José César da Costa, os brasileiros estão cada vez mais habituados à Black Friday e, por isso, sabem que pesquisar os preços é um passo indispensável para garantir boas compras. 

“Muitos já adotam estratégias para conseguir os melhores preços, utilizando mecanismos de notificação e alerta quando determinados produtos entram em promoção. O varejista sabe disso e deve investir em estratégias de divulgação das ofertas e em marketing para atrair os clientes”, orienta.

Internet é o principal local de compra

A pesquisa aponta ainda que as lojas online mantêm a preferência dos consumidores (82%), sobretudo nos sites/aplicativos de varejistas nacionais (57%) e internacionais (34%). Entretanto, apesar do destaque no meio online, uma parcela considerável dos entrevistados afirma que vai comprar em lojas físicas (47%), especialmente no shopping center (29%) e nas lojas de rua (23%).

Somado a isso, a escolha do local de compra é feita levando em conta as lojas em que os consumidores já compraram anteriormente e ficaram satisfeitos (41%), o estabelecimento que oferece frete grátis (36%), aquele que oferece o menor valor (34%) e as lojas que oferecem um bom desconto adicional no boleto ou pagamento à vista (30%).

Conforme explica Costa: “O consumidor normalmente busca comprar em sites e lojas onde já tiveram uma boa experiência de compra. O consumidor ficará atento à reputação do estabelecimento nas redes sociais e em sites como Procon e de reclamação”.

Já entre as formas de pagamento pretendidas, as principais são cartão de crédito parcelado (45%), PIX (33%), dinheiro (32%) e cartão de débito (31%). Entre os que pretendem pagar de forma parcelada, a média será de 6 prestações.

Endividamentos

De acordo com a pesquisa, 38% dos consumidores compraram por impulso na Black Friday 2020: 29% admitem que costumam gastar mais do que podem no evento e 12% chegaram a ficar com o nome sujo devido às compras realizadas na edição do ano passado.

Outro dado aponta que 23% dos consumidores que pretendem comprar na Black Friday possuem contas com pagamento atrasado e 8% pretendem deixar de pagar alguma conta para comprar.

Nesse sentido, Costa destaca que o consumidor deve manter o controle dos seus gastos e, se necessário, resistir às boas ofertas. “Nessa época, as redes sociais, sites e tv estão repletos de ofertas e propagandas para atrair os clientes. Por isso, o consumidor deve estabelecer um teto de gastos e evitar compras por impulso que podem trazer problemas financeiros”, aconselha o presidente.

Veja Também