Festas de fim de ano exigem cuidados para evitar endividamento; entenda os motivos

Postado em: 25-12-2021 às 15h00
Por: Ícaro Gonçalves
Planejar o orçamento, pesquisar diferentes lojas e comprar em conjunto em atacarejos são dicas valiosas para fugir do endividamento. | Foto: Reprodução/Internet

Dezembro é considerado pela maioria dos lojistas como o mês de melhores resultados financeiros, graças ao aquecimento das vendas no Natal e no Ano Novo. Já para os consumidores que trabalham em regime CLT, a chegada da segunda parcela do 13° salário facilita o pagamento de dívidas e a compra de presentes e itens para a ceia e a virada de ano. Contudo, as compras de fim de ano demandam cuidados para não cair em exageros e iniciar 2022 com dívidas.

A pesquisa mais recente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgada no final de novembro, apontou que 26,1% das famílias brasileiras estão em situação de inadimplência, um crescimento de 0,5 ponto percentual quando comparado com o mês anterior. Outros 10,1% dos entrevistados afirmaram não ter condição de arcar com o compromisso de pagamento no prazo determinado. As dívidas mais frequentes são as de cartões de créditos, que atingem 85% dos brasileiros, e de carnês, utilizados por 20% dos endividados, segundo a CNC.

Os riscos são agravados pela situação econômica do país, com PIB recuado e alta inflação, que deve terminar o ano acima dos 10%. As projeções para o próximo ano apontam continuidade da crise econômica, portanto, começar o ano com dívidas pode ser um grande risco. Em vista disso, o Procon Goiânia divulgou dicas e orientações para auxiliar a população na hora das compras de presentes e itens para festas.

Antes de comprar

A primeira delas é organizar a renda e os gastos do mês, para evitar compras por impulso e o possível endividamento. “Toda compra deve ser planejada, e se o consumidor já sabe o que necessita e se pode comprar, aí sim, o próximo passo é a pesquisa de preços. Isso evita o endividamento e ainda possibilita economizar, pois o mesmo produto pode variar muito o valor entre uma loja e outra”, explica Caroline Pereira, presidente do Procon Goiânia.

O mesmo é reforçado pela economista Gabriela Chaves, fundadora da NoFront – Empoderamento Financeiro. Segundo Gabriela, no mês de dezembro é essencial planejar o orçamento e priorizar despesas como alimentação, saúde, transporte, moradia, educação, entre outras, para só depois partir para pesquisa de presentes. “O clima de datas comemorativas desperta as compras, muitas vezes, por impulso. Faça uma lista dos itens mais importantes a serem adquiridos. Depois, selecione quais precisam ser comprados nesse momento e quais podem ser obtidos em outro momento”, explica a economista.

O próximo passo é pesquisar preços em diferentes locais, sejam lojas físicas ou online, e avaliar quais possuem melhores ofertas. O indicado é consultar preços em pelo menos três estabelecimentos diferentes. É importante entender a variação de preços entre as lojas, além de considerar os custos de frete ou deslocamento até a loja, o que pode resultar em uma economia significativa no seu orçamento.

No momento da compra

Ainda de acordo com o Procon Goiânia, o consumidor deve se atentar à política de troca da loja na qual pretende comprar. As informações devem ser fornecidas ao cliente de forma clara com todas as condições necessárias para efetivar a troca da mercadoria por cor, tamanho ou modelo, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor (CDC). Também é essencial exigir a nota fiscal. A nota é o documento oficial que comprova a data, o local e o objeto da compra, e será sua garantia caso o produto apresente defeito. Geralmente, lojas que oferecem troca de presentes entregam um comprovante sem o preço da mercadoria, que poderá ser usado pelo presenteado caso o produto não agrade.

Para compras online, por telefone ou redes sociais, a regra muda um pouco. O consumidor que se arrependeu da compra, seja qual for o motivo, poderá exercer seu direito de arrependimento em até sete dias após o recebimento ou assinatura do produto ou serviço. E ele deve receber o valor pago na sua totalidade, incluídas as despesas com frete.

Uma outra estratégia que pode gerar bons descontos é comprar em conjunto com outras famílias em atacados ou atacarejos. Estas lojas possuem custos e benefícios melhores para clientes que compram em quantidades maiores. Para quem quer fazer compras online, esta é uma boa alternativa, pois alguns sites possuem promoções e descontos para produtos acima de valores específicos e até fretes grátis.

Compartilhe: