Entenda a importância da vacinação contra a Covid-19 para a retomada dos empregos e negócios

Postado em: 13-01-2022 às 08h21
Por: Victoria Lacerda
Embora a vacinação não seja obrigatória no país, diversas empresas estão optando por autorizar somente aqueles que já foram imunizados | Foto: Reprodução

A pandemia da Covid-19 se tornou assunto dominante no mundo todo há quase dois anos, causando perdas irreparáveis a todos os cidadãos que, de uma forma ou de outra, tiveram suas vidas impactadas. No Brasil, até o momento, foram registrados 22.630.142  milhões de casos da doença e 620.281 mortes, deixando o país em 2º lugar no ranking absoluto de vítimas, perdendo apenas para os Estados Unidos.

Diante às medidas de isolamento social decretadas pelos governos locais e pelo órgão regulador de vigilância sanitária a Agência Nacional de Vigilância Sanitária  (ANVISA), foi escancarado no país um cenário de desigualdade social e de crise econômica que já era preocupante. Com o tempo e o relaxamento das medidas de isolamento social, setores que estavam sobrestados por decreto governamental puderam retornar às atividades. O desafio, então, vem sendo enfrentar a crise econômica e instabilidade política que o país vem vivenciando, na tentativa de retomada da economia do Brasil ao patamar pré-pandemia.

No que tange ao desemprego, de acordo com o estudo da consultoria Idados, baseado na Pnad Contínua do IBGE, mostra que, entre o segundo semestre de 2019 e o mesmo período em 2021, o número de brasileiros sem carteira assinada ou vínculo formal aumentou em 700 mil e atingiu 24,8 milhões de pessoas.

Com todos esses acontecimentos, a retomada econômica era extremamente aguardada pela população para recuperar seus empregos, negócios e isso vem sendo possível graças à vacinação em massa. De acordo com o consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, a aplicação já está bem avançada no país, o total de doses aplicadas chega a aproximadamente 338 milhões, sendo que 161 milhões de habitantes tomaram ao menos uma dose e 144 milhões foram totalmente imunizados, totalizando 68,2% da população. 

Em entrevista exclusiva ao jornal O Hoje, o economista Aurélio Trancoso explicou a importância da vacinação contra a Covid-19 para a retomada econômica não só no Brasil, como no mundo. “Podemos falar da vacinação em vários pontos específicos, principalmente em imunizar as pessoas da doença e fazer a retomada da economia no país, que ficou ‘parado’ quase dois anos seguidos entre altos e baixos. Quando estamos falando em imunizar as pessoas, podemos deixar claro que a doença não vai previnir 100%, porém irá te proteger de sintomas mais muito mais pesados, isso dentro das empresas é uma grande vantagem, pois não teríamos um desfalque muito grande dentro das indústrias, pois os funcionários estariam vacinados e conseguiriam tarbalhar sem preovupacao, mas sempre com as exigências sanitárias corretas”, explicou. 

“É importante lembrar que a partir do momento que o mundo tem vacinação, o mundo também tem uma retomada econômica muito grande e significativa. A partir disso temos a liberação de casas de festas, bares, shoppings, empresas. É perceptível que o mundo está começando a se movimentar novamente após quase dois anos de pandemia extrema, tanto é que podemos perceber a discrepância extrema dos preços em um curto período de tempo. Isso vem devido a secção, uma quebra na cadeia produtiva e a partir do momento em que a máquina volta a funcionar normalmente outra vez, precisamos de insumos e até esses insumos voltarem corretamente ao mercado será visível os preços nas alturas”, completou. 

Para realizar a retomada de forma segura com a suspensão das restrições de mobilidade, uma das propostas que vem sendo estudada e aplicada por diversos países é a utilização de um passaporte da vacina. França, Grécia, Itália, Israel e outros países já estão utilizando o método, que consiste na apresentação de um comprovante oficial da vacinação, emitido pelas prefeituras de forma digital, para a entrada em estabelecimentos comerciais, eventos, shows, academias, museus e outros espaços comuns fechados ou que tenham um número maior de pessoas.

No Brasil, o passaporte já passou a ser obrigatório na cidade de São Paulo, no Rio de Janeiro e outras 209 cidades, de acordo com dados da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Não existe uma regra única para esse passaporte, por isso cada cidade pode escolher como aplicá-lo na prática e quais serão seus requisitos. Essa medida, embora comemorada por muitos, pode ser vista como restritiva ao evitar que pessoas sem vacina frequentem certos locais. 

À medida em que avança a vacinação no Brasil e o trabalho presencial vem sendo retomado, algumas empresas têm se deparado com a recusa de alguns colaboradores à vacinação. Embora a vacinação não seja obrigatória no país, diversas empresas estão optando por autorizar somente aqueles que já foram imunizados.

Compartilhe: