Número de pessoas inadimplentes aumentou 53,2% em 2021

Postado em: 22-01-2022 às 08h21
Por: Redação
Com a crise sanitária e financeira, taxa de desemprego e o do Auxílio Emergencial, mais de 1,5 milhões de brasileiros ficaram inadimplentes no último ano | Foto: reprodução

Vitória Coimbra

Cartão de crédito ou boleto de pagamento são uma mão na roda para não ficar tão apertado no final do mês com alguma compra grande, não é mesmo? Porém, eles podem ser os maiores vilões e levarem o consumidor a ter o seu nome negativado por conta de dívidas. Com a chegada da pandemia do Covid-19, a taxa de desemprego se elevou e atingiu quase 15 milhões de pessoas. Além da diminuição dos salários e da renda dos brasileiros, o número de inadimplentes aumentou consideravelmente em 2021. De acordo com o Serasa, o número de brasileiros que estão com o Cadastro de Pessoa Física (CPF) inscrito em um banco de dados de restrição ao crédito teve um aumento de 53,2% no ano passado.

Os números são ainda maiores comparados ao mesmo período de 2020. Na época, a pesquisa Foregon divulgou que apenas 28,9% dos entrevistados afirmaram estarem negativados. O levantamento revelou ainda um crescimento de 17,9% na média do valor total da dívida, ou seja, mais de 1,5 milhões de brasileiros se tornaram inadimplentes de 2020 a 2021.

De acordo com o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, a redução do auxílio emergencial também foi importante para o aumento de inadimplentes. “Os aumentos das taxas de juros e da inflação comprometeram a renda da população. As pessoas tiveram que priorizar alguns pagamentos e deixaram dívidas e pendências pelo caminho”.

Segundo o Serasa, o valor médio da dívida por pessoa é de R$ 3.937,38. A categoria que tem o maior volume de pendências é a de cartão de crédito, representando cerca de 29,7% dos milhões de débito. Em seguida, estão as contas de água, luz, telefone e gás, com 22,3%. As compras no varejo representam 13% dos débitos brasileiros. Se formos separar por Estados, em números gerais, São Paulo concentra e lidera o índice de negativados com mais de 15 milhões. Logo em seguida vem Rio de Janeiro com 6,15 milhões e Minas com 5,9 milhões. Em Goiás houve a maior queda do país no número de inadimplentes e registrou, entre março e abril do ano passado, uma queda de 0,6 pontos percentuais.

Para ajudar os mais de 62 milhões de brasileiros que estão com pendência financeira, existe a Lei 14.181/2021, conhecida popularmente como a Lei do Superendividamento, sancionada em 1º de julho de 2021. A lei que ficou em tramitação no Congresso Nacional por quase 10 anos, oferece como regra aos consumidores o direito de negociar suas dívidas diretamente com todos os credores ao mesmo tempo. Em momentos de crise econômica e sanitária é comum que muitos se descontrolarem financeiramente.

Para limpar o nome, é preciso quitar ou aguardar a prescrição da dívida, o que pode levar de 5 a 10 anos. O Serasa também oferece um meio de negociação pelo “Serasa Limpa Nome”. Além disso, o Procon Goiás também consegue parcelar as dívidas diretamente com a empresa que o consumidor está devendo com taxas que cabem em seu orçamento.

Como sair do vermelho

Com a alta inflação, desemprego e queda na renda das pessoas, a quantidade de aumento por família aumentou. Além disso, os brasileiros possuem uma cultura de gastar e fazer dívidas sem saber se conseguirão ou não ter dinheiro para poder pagar esses compromissos futuros. Não pensam em uma possível emergência e/ou gastos extras e acabam se afundando em dívidas.

O ideal é ter um fundo de emergência para guardar uma parte dos ganhos e ter uma reserva financeira. Além disso, anotar gastos mensais, evitar compras supérfluas e o uso do cartão de crédito, item que possui maior taxa de juros. Se você tiver financiamentos ou parcelas de empréstimos, priorize pagá-las primeiro.

Sempre consulte o site da Serasa

O site da Serasa é uma rápida e ótima ferramenta para poder consultar e saber a situação de seu nome – se está limpo ou sujo – e se sua situação junto à Receita Federal está regular ou não. Além disso, é informado o Serasa Score, que indica as chances do perfil pagar as contas corretamente nos próximos 12 meses. Por isso, ele é um dos itens mais importantes e avaliados no momento para a concessão de empréstimos, financiamentos ou limites de cartões de crédito. (Especial para O Hoje)

Compartilhe: