Conselho do FGTS aprova tetos de renda maiores e juros menores para Casa Verde e Amarela; confira

Segundo o Secretário Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional, Alfredo Santos, as medidas ampliam em até R$ 19 mil a capacidade de financiamento das famílias

Postado em: 08-07-2022 às 08h33
Por: Rodrigo Melo
Segundo o Secretário Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional, Alfredo Santos, as medidas ampliam em até R$ 19 mil a capacidade de financiamento das famílias | Foto: Paulo Carvalho

O Conselho Curador do FGTS aprovou nesta quinta-feira (7/7), o aumento nas faixas de renda do programa e redução nos juros, na tentativa de destravar o programa habitacional Casa Verde e Amarela. O programa foi impactado pela alta de custos e queda da renda de famílias pressionadas pelo aumento da inflação.

Leia também: Alta na Selic adia sonho da casa própria para pelo menos 3 milhões de famílias brasileiras

As pessoas que recebem até R$ 8 mil passarão a ter acesso ao programa habitacional Casa Verde e Amarela. A expectativa é que os novos valores entrem em vigor em 18 de julho. As mudanças foram as seguintes.

Continua após a publicidade

Fonte: Conselho Curador do FGTS

Cada faixa tem subsídios e programas diferenciados. Segundo o Conselho Curador do FGTS, a atualização das faixas de renda tem como objetivo destravar o programa habitacional e melhorar as condições para as construtoras.

Segundo o Secretário Nacional de Habitação do Ministério do Desenvolvimento Regional, Alfredo Santos, as medidas ampliam em até R$ 19 mil a capacidade de financiamento das famílias.

Queda a taxa de juros

As reduções de juros, provocadas pelo número maior de famílias com acesso às faixas mais baixas do programa, ficarão entre 0,75 e 1,16 ponto percentual, dependendo da renda do mutuário. A queda das taxas, destacou, beneficiará até 31 % da carteira do Casa Verde e Amarela.

O Conselho Curador também aprovou reduções de juros no Pró-Cotista, programa destinado a quem não tem acesso ao Casa Verde e Amarela. As taxas para imóveis avaliados em até R$ 350 mil cairão de 8,66% para 7,66% ao ano. Os juros para unidades acima desse valor cairão de 8,66% para 8,16% ao ano.

Veja Também