Goiânia é capital com maior valorização nos imóveis

No que se refere aos lançamentos, a Ademi-GO destaca que os imóveis na planta registraram uma valorização significativa

Postado em: 29-09-2022 às 10h26
Por: Lorenzo Barreto
A valorização em Goiânia também registra um marco: nos últimos 12 meses, a capital obteve a maior valorização da série histórica desde que a pesquisa começou a ser realizada, em 2014 | Foto: Reprodução

Goiânia é a capital brasileira em que os imóveis registraram maior valorização em 2022. No que se refere aos lançamentos, a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) destaca que os imóveis na planta registraram uma valorização significativa no primeiro quadrimestre deste ano diante da inflação. “O preço médio de venda nos primeiros quatro meses de 2022 foi 14% maior que o valor de venda médio de 2021.

Com uma visão mais simplista no sentido de moradia, impulsionado pelo cenário de pandemia desde o último ano, o mercado imobiliário se viu diante de novos desejos e prioridades por parte do público consumidor. Do mesmo modo que deixaram apartamentos em busca da maior amplitude de espaços de uma casa, outros se voltaram para metragens mais compactas.

A valorização em Goiânia também registra um marco: nos últimos 12 meses, a capital obteve a maior valorização da série histórica desde que a pesquisa começou a ser realizada, em 2014. Neste período, a variação foi de 20,91% nos preços dos imóveis, enquanto a média nacional bateu apenas 6,29%.  

Continua após a publicidade

Na contramão, a capital de Goiás ainda possui um dos valores mais baixos do metro quadrado entre as metrópoles. Em abril, a média do preço era de R$ 5,5 mil, o quinto menor índice entre as 16 capitais monitoradas pelo FipeZap. “O que significa dizer que aplicar em imóveis continua sendo um excepcional investimento”, ressalta Melazzo. 

Com a atenção voltada aos novos movimentos do mercado mesmo antes da pandemia a consultora de abril de 2020 ao mesmo mês de 2021, teve 75% do seu volume de vendas representado por apartamentos e casas com tipologia de 2 e 3 quartos, totalizando 630 das unidades vendidas, desde empreendimentos do Minha Casa Minha Vida até os imóveis de médio e alto padrão

O lar sofreu uma ressignificação, as pessoas tiveram que reavaliar se as suas necessidades estavam sendo atendidas. Uma resposta concreta que sinaliza a permanência dos novos desejos é que nós vendemos 100% das unidades de dois empreendimentos, um edifício próximo ao Areião, e um condomínio fechado de casas, em 30 dias”, afirma Ademar Moura, gerente de uma consultoria. 

Com isso, é mais do que esperado que as construtoras invistam mais nesse modelo de imóveis. Assim, haverá uma busca por imóveis maiores, com mais cômodos e possibilidades de reconfigurar os ambientes para que eles possam também servir ao trabalho. Somente em 2020, enquanto a pandemia alterava a relação de todas as pessoas com o lar, uma consultoria goiana lançou três residenciais na capital: o Vida Milão, próximo ao Parque Bernardo Élis, o Wish Areião, no último terreno com vista para o Parque Areião, e o Wish Aeroporto, na região da Praça do Avião, uma das mais tradicionais da capital goiana. 

Confira os bairros com o metro quadrado mais caros de Goiânia

Setor Marista  Dominando a lista, o Setor Marista aparece no levantamento com um preço médio do metro quadrado de R$ 8.168. O local é conhecido por comandar a agitação noturna na cidade e pela vasta quantidade de bares, boates e restaurantes.

Jardim Goiás 

Em seguida, vem o Jardim Goiás custando R$ 7.363/m² . Um dos motivos para valorização dos imóveis no local, é a proximidade geográfica, além de abrigar o Shopping Flamboyant, o Fórum e algumas das principais construções de alto padrão da capital.

Setor Bueno 

O Setor Bueno é conhecido pelas instalações uma grande quantidade de escolas e clínicas de alto padrão e interligar as principais avenidas de Goiânia, como a T-4, T-63 e a 85.  Entre esses e outros motivos, o preço de um imóvel à venda na região pode sair por R$ 7.121 /m². 

Setor Oeste 

Outro que aparece na lista é o Setor Oeste, lugar onde está localizado o Bosque dos Buritis, Parque Zoológico e o Lago das Rosas. O valor médio de uma residência no setor é de R$ R$ 6.406 /m². 

Setor Sul

Próximo a Praça Cívica e ao Estádio Serra Dourada – local que, constantemente, serve de palco para artistas nacionais e internacionais – vem o Setor Sul. O preço dos imóveis à venda na região é de R$ 6.404 /m². 

Pedro Ludovico, Bela Vista e Jardins das Esmeraldas

Empatados no sexto lugar com um valor médio de R$ 5.553 /m², constam os bairros Pedro Ludovico, Bela Vista e Jardins das Esmeraldas, regiões que fazem divisas entre si. 

Jardim América

O Jardim América não fica para trás e aparece na sétima posição. Custando R$ 5.289  por metro quadrado, o local é conhecido como o maior bairro de Goiânia e pela diversidade de estabelecimentos.

Setor Sudoeste

Com um custo médio de R$ 4.663 /m², vem o Setor Sudoeste – local onde os grandes supermercados estão instalados na capital.

Nova Suíça

Outro que também aparece na listagem, é o Nova Suíça, com R$ 4.313 /m². O setor é bastante residencial e próximo às principais regiões da cidade como Jardim América, Parque Amazônia, Bela Vista e Bueno.

Setor Central

Encerrando o ranking, vem o Setor Central. Por lá, há uma vasta quantidade de bares e restaurantes espalhados no local. 

Veja Também