Depois de cinco meses de alta, emprego na indústria cai 0,2%

Apesar do recuo no emprego, a divulgação mostra que houve um aumento no rendimento médio real dos trabalhadores - 2% em março - em relação a fevereiro

Postado em: 02-05-2018 às 12h25
Por: Márcio Souza
Apesar do recuo no emprego, a divulgação mostra que houve um aumento no rendimento médio real dos trabalhadores - 2% em março - em relação a fevereiro

Após cinco meses de alta, o
emprego na indústria tem queda de 0,2% entre fevereiro e março, de acordo com
os Indicadores Industriais divulgados hoje (2), em Brasília, pela Confederação
Nacional da Indústria (CNI). Na comparação com março do ano passado, houve
aumento de 0,5%.

Apesar do recuo no emprego, a
divulgação mostra que houve um aumento no rendimento médio real dos
trabalhadores – 2% em março – em relação a fevereiro. A alta do mês passado é a
terceira consecutiva. Na comparação com março de 2017, o rendimento médio real
subiu 2,2%.

Continua após a publicidade

A Utilização da Capacidade
Instalada (UCI), ou seja, o percentual do parque industrial que está
trabalhando, cresceu 0,2 ponto percentual entre fevereiro e março de 2018 e
alcançou 78,2%, o maior percentual desde julho de 2015, quando a UCI ficou em
78,5%.

Queda do faturamento é de 2,5%

O faturamento caiu 2,5% em março
em relação a fevereiro, registrando a primeira redução após dois meses de alta
e o pior resultado em cinco meses, de acordo com a CNI. As horas trabalhadas
tiveram a segunda queda consecutiva – de 0,9% – entre fevereiro e março.

Na avaliação da CNI, o desempenho
da indústria brasileira em março mostra que a recuperação do setor continua em
ritmo lento. Segundo a confederação, as quedas são atípicas porque março é,
tradicionalmente, um mês de atividade industrial mais forte.

 Com informações da Agência Brasil. 

Veja Também