Goianienses devem valorizar os mercados populares: Mercado Central

Postado em: 21-03-2021 às 15h30
Por: Nielton Soares
Um só lugar com comida típica, artesanato e serviços que precisam se manter vivos para alimentar nossa identidade cultural | Foto: reprodução

Augusto Pereira

Esqueça-se da modernidade dos shoppings centers e das lojas caras, pois o Mercado Central de Goiânia reúne em quase 7 mil metros quadrados muita tradição, história, cultura, qualidade e preço baixo. Segundo os comerciantes, o mercado existe desde 1947, mas para a Prefeitura as atividades só tiveram início em 1950. Contudo, vamos partir da inauguração da atual sede em 24 de outubro de 1986, na Rua 3, no Centro.

Com 101 permissionários, o mercado oferece uma grande diversidade de produtos e serviços distribuídos em seus corredores. Quem passa por lá pode optar entre comer uma tradicional empada goiana ou levar um queijo para casa. Criado para abastecer o comércio alimentício, as lojas dão opções de carnes, frutas, verduras, pastéis, restaurantes, bares, doces e farináceos.

Se quiser dar gosto à vida, há o comércio de temperos e condimentos ou de ervas e raízes. Tem também as lojas de produtos naturais e tabacarias. Mas se a sua necessidade for pequenos reparos, os lojistas do Mercado Central podem afiar alicates ou consertar celulares, relógios, roupas, panelas ou oferecer outras utilidades domésticas. É importante passar também pelo Armazém Cinco e no João Máquinas.

Continuando nas coisas para casa, o Mercado Central tem seis opções de lojas para adornar a casa com artesanatos que representam a nossa goianidade. São objetos carregados de história e identidade cultural. Cestas, vasos, carrinhos de madeira, cabaças, carros de boi e outros produtos manuais para levar para casa o valor do artesão goiano. Além disso, o frequentador pode aproveitar as opções de bolsas e sapatos.

O mundo está se atualizando, as compras pela internet e o modelo drive-thru parecem melhores para um contexto tão veloz que vivemos. Entretanto, é importante desacelerar e aproveitar uma prosa longa com boas histórias. O Mercado Central é um local tradicional para isso. Comida boa, atendimento aconchegante e produtos naturais nos reaproximam daquilo que nos define como humanos e goianienses.

 

Compartilhe: